A união faz a força

familiaEra uma vez uma família que vivia numa cidade do interior. A mãe era proprietária de uma pequena empresa têxtil. O marido viu-se afastado do seu trabalho por motivos de doença. Tinham dois filhos, ambos a estudar.

O marido, ainda que afastado da sua atividade, conseguia dar apoio ao negócio da esposa: dobrava a roupa, levava e trazia as encomendas às clientes, recebia e fazia os depósitos no banco. No lar, cultivava no terreno de sua casa legumes, verduras, ervas para tempero e produzia leite, ovos e carne, tornando a família autossuficiente. Era ele também quem lavava e passava a roupa e cozinhava.

Porém, a mãe sentia-se sobrecarregada. Via o marido como um peso, um incómodo, rejeitava a sua cooperação, acumulando todas as funções nela própria, pois tinha dificuldade em delegar tarefas e criticava o trabalho realizado pelos outros.

Estava a ser difícil acompanhar todas as mudanças.

O negócio atravessava tempos árduos e o dinheiro escasseava.

Foi então que o marido a chamou e pediu-lhe que se sentassem. Tirou um papel e caneta e começou a fazer os cálculos de todos os gastos.

A esposa percebeu que a contribuição indireta do marido permitia que não tivessem gastos adicionais com terceiros. Depois do conflito deu-se uma aliança entre os dois, tinham objetivos comuns e cooperavam para concretizá-los. Deixou de ver o marido como um problema para passar a vê-lo como parte da solução e aprendeu a olhar para a família não como um fardo, mas como uma fonte de recursos.

A família é o primeiro contexto de socialização, de partilha de afeto, amor e muitas vezes o primeiro núcleo empresarial. A sua importância revela-se desde cedo e prolonga-se por toda a vida. Esta história, que pode ser comum a muitas famílias, retrata a importância de saber reconhecer quando recebemos algo, aprender a receber o que os outros têm para oferecer, sem criticar ou esperar sempre mais. É certo que numa família cada membro é um indivíduo diferente, com necessidades específicas e características distintas, mas cada um dá um contributo único para o bem-estar familiar. O truque está em saber reconhecer a importância e valor desse contributo, agradecer por ele e saber partilhar os ganhos e as perdas.

Quantos de nós sabem reconhecer o valor de quem está próximo de nós? Pense nisso.

Partilhar
Comments ( 0 )

    Deixe o seu comentário

    Seu endereço de email não será publicado . Campos obrigatórios são marcados *