Porque é que o negativo vem sempre em primeiro lugar? – parte 1

Já reparou como é que o negativo é tão atraente para o ser humano? Como as notícias mais violentas do telejornal nos retiram toda a nossa atenção? E os três erros ortográficos que o seu filho deu no ditado da escola? Provavelmente irá focar-se apenas nesses erros e deixar todas as outras palavras escritas corretamente, de lado. Sabe porque o faz?

O nosso cérebro está constantemente em alerta, de forma a detetar potenciais perigos ou perdas. Porquê? Faz parte da evolução do ser humano – o instinto de sobrevivência está no seu ADN. Desta forma, é possível perceber as tantas vezes em que até estava relaxado e feliz, mas o seu cérebro continuava a insistir na busca infindável de algum sinal de perigo ou ameaça. Quantas vezes pensou “É demasiado bom para ser verdade”?

Nestes momentos precisávamos de saber dominar esta predisposição negativa, pois a mesma afeta o nosso equilíbrio emocional, bem-estar e saúde física. Quando não controlamos esta predisposição, o nosso cérebro começa a disparar o sinal de alarme de uma forma mais regular e intensamente e isso, desgasta a nossa mente e o nosso corpo. Assim, irá gerar-se um ciclo vicioso de ansiedade, preocupação, mágoa, irritação e frustração.

É importante que treine o seu cérebro para o positivo, tente incorporar experiências positivas, agradáveis e novas no seu dia-a-dia, o seu organismo irá reagir intensamente, mas desta vez para o positivo.

Ao treinar o seu cérebro para o positivo verá que se tornará uma pessoa mais positiva! Aguarde pela nossa próxima publicação, iremos dar-lhe algumas dicas para manter a positividade – um antídoto para os seus dias mais difíceis.

O bem-estar mental é um direito que deve estar ao alcance financeiro de todos. Se é estudante, está desempregado ou numa situação económica fragilizada, saiba como usufruir de preços ajustados à sua realidade em psic.com.pt/prosocial

Jatir Schmitt- Psicóloga Clínica

Mais um motivo para abraçar (ainda mais) o seu bebé!

Continuamos a falar em carinhos – desta vez em abraços! É um tipo de carinho muito bom, faz muito bem à saúde e traz coisas maravilhosas para nós e para as nossas crianças. E já agora, temos mais um motivo para abraçar ainda mais os nossos bebés: segundo estudos epigenéticos, bebés que recebem abraços podem ter a sua genética modificada, com efeitos durante anos. Leia mais sobre este tema no artigo publicado em no sítio sciencealert.com.

Conclusão: vamos abraçar mais vezes!

Ana Macedo – Psicóloga Clínica

Receita PSIC para o ano novo 2018: viva os próximos 364 dias como vive o 1º de Janeiro

Chegamos ao final do ano, e com ele vem aquele desejo súbito de mudança, de enterrar velhos hábitos, de estabelecer novos objetivos e resoluções para este novo ano que aí vem… Deixar de fumar, emagrecer, mudar de emprego, superar uma fobia, engravidar – a lista de resoluções pode ser mais ou menos longa, mas sentimo-nos sempre muito motivados nesta altura. Ótimo! Vamos aproveitar toda essa energia e motivação para lhe dar mais qualidade de vida, equilíbrio emocional e bem-estar em apenas 3 passos:

1 – Pense nas diferentes áreas da sua vida (familiar, profissional, pessoal, económica, social). Como se sente em cada uma dessas áreas? Quais são as mudanças que gostaria de fazer em cada uma delas?
2 – Faça uma lista dessas mesmas mudanças, quer a curto prazo quer a longo prazo. Lembre-se que poderá encontrar alguns obstáculos durante o seu percurso e aí, só terá de pensar na melhor forma de lidar com eles. Tenha também em atenção aos objetivos que estabeleceu, alguns deles podem não depender diretamente de si, mas sim dos outros. Mas neste momento, tudo depende de si, agarre em todos os seus recursos internos, energia, motivação e acredite que este ano é que vai ser.
3 – Não se esqueça que estabelecer metas sem um plano é somente um desejo. Vamos fazer com que este ano seja bem mais que um simples desejo.

A Equipa PSIC tem um plano para si: viva os próximos 364 dias como vive o 1º de Janeiro: rodeado de quem mais gosta, cheio de energia, motivação, confiança, feliz, grato e repleto de planos e metas para os próximos dias.

Jatir Schmitt- Psicóloga Clínica