Ambição ou Ganância?

Na China antiga, um mágico vivia numa montanha profunda. Num belo dia, um velho amigo foi visitá-lo. O mágico, muito feliz por recebê-lo, ofereceu-lhe um jantar e sítio para dormir. Na manhã seguinte, antes da partida do amigo, quis oferecer-lhe um presente. Pegou numa pedra e com o dedo, converteu-a num bloco de ouro puro. O amigo não ficou satisfeito. Assim, o mágico apontou o dedo para uma rocha enorme, que também se transformou em ouro. O amigo, porém, continuava sem sorrir.
– O que queres, então? – perguntou o mágico.
Respondeu-lhe o amigo:
– Quero esse dedo, corta-o e dá-mo de presente.
Autor Desconhecido

8 Mitos sobre o Suicídio

Mito 1: As pessoas que dizem que se sentem incapazes de encontrar o sentido da vida, nunca tentaram causar danos a si mesmas, pois pretendem apenas chamar atenção dos outros.
FALSO. Por vezes, as pessoas sentem dificuldades em lidar com experiências passadas, que lhes causam profundo sofrimento emocional, criando conflitos consigo mesmas, impedindo-as de se libertarem dessas emoções negativas.

Mito 2: O suicídio ocorre sempre de forma imprevisível e sem advertências.
FALSO. Um suicídio pode ser planeado durante algum tempo. Muitos suicidas comunicam alguns sinais verbais ou comportamentais sobre as suas intenções.

Leia também:

É preciso falar do suicídio! 8 sinais de alerta

É preciso falar do suicídio! 8 sinais de alerta

Mito 3: As pessoas que têm pensamentos irracionais e depressivos querem mesmo pôr um fim à sua vida.
FALSO. As pessoas, muitas vezes revelam sinais e/ou ideias suicidas, no entanto sentem a necessidade urgente, de falar com alguém acerca dos pensamentos e sentimentos suicidas e da sua dor.

 

Mito 4: Quando uma pessoa sobrevive a uma tentativa de suicídio, não tenta o suicídio novamente.
FALSO. Após uma tentativa de suicídio, a pessoa em sofrimento poderá deparar-se com ruminação dos seus pensamentos negativos, e pode ficar emocionalmente muito fragilizada. É necessário ter atenção acrescida após esse período crítico, pois poderão surgir mais tentativas.

Mito 5: O suicídio é praticado sempre quando já se sucedeu na família.
FALSO. Uma história familiar de suicídio pode ser um fator de risco para o comportamento suicida, sobretudo se existirem perturbações psicológicas, como é o caso da depressão. No entanto, a pessoa pode ter outras formas para conseguir lidar e enfrentar os seus pensamentos sem alimentar esses pensamentos suicidas.

Mito 6: As pessoas que tentam ou cometem suicídio fazem-no por falta de coragem para encarar as situações.
FALSO. Os comportamentos suicidas estão associados à depressão, abuso de substâncias e/ou outras perturbações mentais. São vários os motivos que podem conduzir a pessoa ao suicídio. Usualmente, ocorre como forma impulsiva para aliviar pressões internas e/ou externas tais como influência social, sentimentos de culpa, remorsos, depressão, ansiedade, fracasso, medo, etc.

Mito 7: O suicídio só acontece a pessoas que têm doenças mentais.
FALSO. O suicídio pode acontecer a qualquer pessoa, nos diversos sistemas sociais e familiares. O suicídio não escolhe género, idade ou estatuto social. O suicídio está desassociado das doenças mentais e associado a um momento de dor emocional severa e difícil de ser superada. Ocorre mais rapidamente se a pessoa se sentir só, principalmente quando não obtém auxílio nesse período.

Mito 8: Os jovens e as crianças não cometem suicídio visto que desconhecem o significado da morte e são cognitivamente incapazes de se auto agredir com um ato suicida.
FALSO. Deve-se ter a máxima atenção em relação aos comportamentos de risco mesmo quando se trata de crianças ou jovens. Em qualquer idade, o suicídio deve ser encarado como um assunto importante e sério, qualquer ser humano pode estar emocionalmente debilitado diante situações difíceis de encarar e que lhes despertem ideias suicidas.

Perante situações de risco de suicídio é urgente demonstrar que não iremos julgar a pessoa, que queremos apenas ajudar a diminuir o seu sofrimento emocional. O suicídio é um problema da saúde mental associada às dificuldades em lidar com acontecimentos stressantes ou traumáticos.

Se ultimamente sente falta de esperança, ansiedade severa, ataques de pânico, agitação psicomotora ou até mesmo insónia, saiba que pode estar perante uma situação de desgaste físico e mental, contudo podemos ajudá-lo a encontrar estratégias para lidar e ou superar as suas dificuldades emocionais. A Clínica Psic pode ajudá-lo a restabelecer de novo bem-estar na sua vida. Contacte-nos para uma consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Porque é que as pessoas cometem suicídio?

Há tantas pessoas a pensar em suicídio e por vezes tão desesperadas! É por isso que temos urgência em falar sobre suicídio e nos motivos que levam as pessoas a cometer suicídio. E o que é o suicídio? O suicídio é um ato de morte provocado e propositado para pôr um fim à própria vida. Muitos estudos revelam que os homens cometem mais suicídio, porém as mulheres são as que fazem mais tentativas.

Em Portugal, as doenças mentais mais comuns estão associadas aos casos de suicídio, particularmente a depressão. Por outro lado, também os casos de violência física e/ou sexual, as perdas e/ou rejeição, a negligência, e o luto são os principais acontecimentos de vida que estão muito associados ao suicídio. Sabemos ainda que na maioria dos casos, o impulsor do comportamento suicida está interligado à existência de conflitos no relacionamento familiar ou amoroso, perdas ou até dificuldades económicas.

Cada vez mais é indispensável refletir sobre a relação da ocorrência do suicídio com emoções como a frustração, o sofrimento e a perda emocional. A esta possibilidade podemos também refletir acerca dos fatores que podem ser as componentes do suicídio, nomeadamente: isolamento social; história familiar; problemas e dificuldades socioeconómicas; dificuldades interrelacionais; problemas relacionados com consumo de substâncias psicoativas (e.g., álcool, drogas, entre outros); acontecimentos de vida stressantes (e.g., desemprego, divórcio, fim de relacionamento…) e doenças mentais (e.g., depressão).

É comum, termos contacto com pessoas e familiares que vivenciaram situações traumáticas ou perdas significativas e como consequência mergulham num grande sofrimento interno, sentem dificuldades em expressar por palavras a dor vivida e assim, em desespero encontram na morte uma saída. Devemos estar atentos e compreender os sentimentos e emoções da pessoa que pensa ou já tentou o suicídio como forma de reduzir a sua angústia.

Esteja atento às nossas próximas publicações, iremos falar acerca dos principais Mitos sobre o Suicídio que podem ajudá-lo a identificar sinais, quer em si quer em alguém próximo de si, que possa estar em risco. Se quiser saber mais sobre este tema, consulte-nos para uma consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).