O que é, realmente, um trauma?

Numa altura em que as notícias acerca dos incêndios e das suas consequências são tão frequentes, é importante esclarecer, afinal o que é um trauma?

 

Quando vivenciamos uma situação assustadora, que nos coloque em perigo a nós ou a outros, o nosso organismo assume um estado de alerta e o medo é a emoção principal. É como se o nosso corpo tentasse procurar uma saída rápida da situação de perigo. O trauma ocorre quando o organismo continua hiperativado, depois do fim da exposição a essa situação perigosa. Desenvolve-se assim o stress pós-traumático, o perigo já passou mas o estado de alerta continua ativado, levando a alterações no dia-a-dia da pessoa.

 

É comum vivenciar:

  • Insónia
  • Alterações no apetite
  • Pesadelos constantes
  • Flashbacks repetidos e involuntários do acontecimento traumático
  • Ansiedade ou ataques de pânico
  • Crises de choro
  • Flutuações do humor
  • Raiva, culpa e vergonha
  • Desligamento da realidade

 

Além dos incêndios, os acontecimentos traumáticos podem ser variados: assaltos, violações, abusos, situações de guerra, acidentes, inundações e terramotos.

 

A intervenção no imediato é de extrema importância podendo prevenir consequências futuras mais graves. Se conhece alguém que esteja a sofrer com alguma destas situações, esteja presente, ajude na resolução de questões práticas e encoraje a procurar ajuda psicológica.

Saiba mais sobre como podemos ajudar em www.psic.com.pt/trauma

 

O bem-estar mental é um direito que deve estar ao alcance financeiro de todos. Se é estudante, está desempregado ou numa situação económica fragilizada, saiba como usufruir de preços ajustados à sua realidade em psic.com.pt/prosocial

 

Carla Santos – Psicóloga Clínica

Porque deve parar de reprimir as suas emoções… imediatamente!

Emoções de elevada intensidade quando não são expressas podem causar danos no nosso corpo e manifestarem-se sob a forma de várias doenças. Ao reprimir frequentemente as suas emoções leva a que estas fiquem gravadas no seu corpo conduzindo a um desconforto corporal, tensão ou, em casos extremos, a doenças graves de saúde.

 

Estas são as principais doenças físicas associadas a cada emoção reprimida.

Doenças
Emoção
 Fígado
Raiva; Ira
Pulmões
Tristeza; Pesar
Estômago
Angústia; Preocupação
Coração
Euforia
Rins
Medo

 

Apesar de culturalmente termos sido incentivados a ignorar as nossas emoções (“NÃO chores”, “NÃO fiques assim…”, “NÃO te preocupes”, “NÃO te enerves” “NÃO tenhas medo”…), devemos expressá-las livremente, porque o nosso corpo não se esquece daquilo que nós muitas vezes queremos ignorar.

 

Se quiser saber mais sobre esta temática consulte o artigo Como os problemas emocionais se transformam em doença ou entre em contacto connosco.

Em breve iremos abordar cada uma das doenças e emoções associadas. Esteja atento.

O bem-estar mental é um direito que deve estar ao alcance financeiro de todos. Se é estudante, está desempregado ou numa situação económica fragilizada, saiba como usufruir de preços ajustados à sua realidade em psic.com.pt/prosocial

Jatir Schmitt – Psicóloga Clínica e Hipnoterapeuta

14 formas poderosas para aumentar a autoestima das crianças

A autoestima inicia-se desde o nascimento e modifica-se ao longo da vida, mas é durante a fase da infância e adolescência que há um maior desenvolvimento. Uma boa autoestima fará com que a criança tenha mais confiança em si mesma, interesse em aprender e descobrir o mundo, sem medos e sem preocupações.

 

Cada criança é única, logo devemos ter em conta a sua personalidade, para a construção de uma autoestima equilibrada. Siga estas 14 formas poderosas para aumentar a autoestima de uma criança:

  1. Dê incentivos e encoraje
  2. Estabeleça metas
  3. Defina limites claros e objetivos
  4. Fale de forma positiva
  5. Diga que a ama
  6. Respeite os seus sonhos
  7. Esteja sempre disponível para ouvir e brincar
  8. Permita-a crescer em liberdade
  9. Ensine a respeitar o outro e a ser bondosa
  10. Diga que pode contar sempre consigo
  11. Ensine a partilhar
  12. Aceite-a como ela é
  13. Reforce os sentimentos
  14. Seja um exemplo a seguir

 

Com estas pequenas dicas, as crianças sentem-se mais integradas socialmente e saberão lidar melhor com as suas emoções.

 

E se quer reforçar a autoconfiança dos seus filhos, leia também Os medos mais comuns das crianças – e como lidar com eles 

O bem-estar mental é um direito que deve estar ao alcance financeiro de todos. Se é estudante, está desempregado ou numa situação económica fragilizada, saiba como usufruir de preços ajustados à sua realidade em psic.com.pt/prosocial

Ana Macedo – Psicóloga Clínica