O “Tolo” que era Sábio

Todos os dias um mendigo ia pedir esmola para a feira, e as pessoas adoravam vê-lo a fazer papel de tolo, com o seguinte truque: mostravam duas moedas, uma com o valor superior à outra. O mendigo escolhia sempre a moeda com o valor menor. A história foi-se espalhando por toda a região. Dia após dia, grupos de homens e mulheres mostravam as duas moedas, porém o mendigo escolhia a que tinha o menor valor. Até que apareceu um senhor generoso, cansado de ver o mendigo a ser ridicularizado daquela maneira. Chamou-o a um canto da praça, e disse:
– Sempre que lhe oferecerem duas moedas escolha a maior. Assim, terá mais dinheiro e não será considerado idiota pelos outros.
O mendigo respondeu:
– O senhor parece ter razão, mas se eu escolher a moeda maior, as pessoas vão deixar de me oferecer dinheiro, para provar que sou mais tolo que elas. O senhor não sabe quanto dinheiro já ganhei, através deste truque. Não há nada de errado em se fazer passar por tolo, se na verdade o que está a fazer é inteligente. Às vezes, é de muita sabedoria fazermo-nos passar por tolos e é muito melhor passar por tolo e ser inteligente do que ter inteligência e usá-la para fazer parvoíces.

“Os sábios não dizem o que sabem, os tolos não sabem o que dizem!”

Autor Desconhecido

Sabia que pode ser uma vítima do assédio alimentar?

O excesso de peso e a obesidade têm vindo a aumentar significativamente em todo o mundo. Cada vez há mais expectativas criadas em torno da imagem ideal a alcançar, o que pode provocar grande sofrimento nas pessoas com excesso de peso.

Os interesses da indústria e o acesso facilitado aos alimentos processados e pouco nutritivos (embora saborosos) contribuem para a epidemia do excesso de peso. O sentimento de impotência diante do assédio alimentar é determinante para o agravamento dos comportamentos alimentares disfuncionais.

Em muitos casos, o excesso de peso, surge acompanhado de fatores psicológicos como:

    • Passividade e/ou submissão
    • Preocupação excessiva com a comida
    • Ingestão compulsiva de alimentos
    • Dependência
    • Comodismo
    • Não-aceitação da imagem corporal
    • Sentimento de desamor e de rejeição
    • Dificuldades de adaptação social
    • Frustração
    • Desamparo e/ou insegurança
    • Intolerância
    • Culpa

A combinação destes fatores psicológicos em conjunto com o assédio alimentar torna-o refém da doença da obesidade.

Se se identificou com algumas destas caraterísticas, poderá estar a comprometer a sua qualidade de vida. Tome a decisão de cuidar de si! Procure a nossa ajuda para o auxiliarmos a superar os problemas emocionais subjacentes à obesidade e/ou para conseguir vencer a luta contra o excesso de peso. Saiba como aqui.

Contacte-nos para marcar uma consulta informativa gratuita.. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Depressão ou apenas tristeza?

A tristeza e a depressão são frequentemente associados e confundidos. Mas afinal, qual é a diferença? Conhece os sintomas que distinguem a tristeza da depressão?

Tristeza

  • Este sentimento tem uma causa, algum acontecimento inesperado, uma perda, etc.;
  • É um sofrimento menos intenso;
  • Com o tempo vai diminuindo de intensidade e frequência;
  • É uma reação típica do ser humano;
  • Não causa limitações graves funcionais;
  • Reage perante estímulos positivos.

Depressão

  • É uma doença que pode ter uma causa genética, traumática, situacional ou aprendida;
  • Caracterizada pelo sofrimento intenso;
  • É uma patologia que necessita de acompanhamento de profissionais da saúde;
  • Causa implicações no dia-a-dia, nomeadamente agitação ou retardo psicomotor;
  • Necessita de tratamento urgente, pois a tendência é o agravar dos sintomas;
  • Não reage perante estímulos positivos;
  • Dificuldade de pensar e de se concentrar;
  • Pensamentos negativos sobre si mesmo, o mundo e o futuro;
  • Diminuição da líbido;
  • Perda de energia ou fadiga;
  • Diminuição ou aumento do apetite;
  • Alteração do sono.

Todos nós vivenciamos momentos de tristeza e todos os encaramos de forma diferente. Porém, quando estes momentos de tristeza se tornam intensos e prolongados, podem prejudicar a nossa vida pessoal, social, familiar e profissional.

Se sente que estes sintomas já perduram há algum tempo e cada vez se tornam mais intensos, interferindo com o seu bem-estar e com o seu dia-a-dia, a PSIC pode ajudar a superar o seu sofrimento. Contacte-nos para marcar uma consulta informativa gratuita.. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Saiba mais sobre como podemos ajudar no tratamento da depressão aqui.