Stress no trabalho – 5 fatores de risco

 

O stress no trabalho é cada vez mais um problema que afeta os colaboradores e as organizações. Alguns dos fatores de risco são:

Conteúdo do trabalho – tarefas monótonas, desvalorização das qualidades do trabalhador, elevada incerteza e insegurança e constante exposição a diferentes pessoas;

Carga e ritmo de trabalho – sobrecarga e/ou exigências excessivas, pausas inexistentes ou reduzidas;

Horário de trabalho – aumento do horário de trabalho, horários rígidos e inflexíveis, trabalho por turnos;

Cultura e ambiente organizacional – falta de apoio, feedback e reconhecimento, monotorização ou supervisão excessiva, má comunicação, fraca definição ou não acordo nos objetivos;

Bullying/mobbing – discriminações, vitimizações, humilhações, ameaças ou atos repetidos com o objetivo de prejudicar um trabalhador ou grupo de trabalhadores.

A conjugação de alguns destes fatores ou a exposição prolongada no tempo pode conduzir à manifestação de sinais de stress no trabalho, afetando a qualidade de vida.

Identifica-se com algum destes cenários? Pode ser difícil alterar o seu contexto de trabalho, mas é possível aprender estratégias para adaptar-se a esta realidade.

 

O bem-estar mental é um direito que deve estar ao alcance financeiro de todos. Saiba como em psic.com.pt/prosocial.

 psic-equipa-ritalopes

Rita Lopes – Psicóloga Clínica

Mudança de rotinas – 1º passo para deixar de fumar

 

Se uma das suas resoluções de 2017 é deixar de fumar, já deve ter reparado como esse hábito se enraizou na sua rotina diária, o que pode dificultar o sucesso desta resolução. Para começar, faça uma lista das situações em que é mais usual fumar e, de seguida, tente substituir esse hábito por outra rotina mais saudável. Aqui ficam alguns exemplos:

  • Coma várias vezes ao dia – experimente comer pequenas quantidades de alimentos como frutas, frutos secos sem sal ou até pastilhas elásticas sem açúcar;
  • Lave os dentes a seguir às refeições ou café – é comum ter vontade de fumar após uma destas situações, ao lavar os dentes elimina esta associação;
  • Limpe o meio ambiente – livre-se de tudo o que está relacionado com o tabaco, isqueiros, cinzeiro, cigarrilhas;
  • Elimine o odor – lave as suas roupas e as roupas de casa para voltar a sentir um odor fresco e limpo;
  • Pratique exercício físico – escolha uma atividade de que goste e pratique, é um bom antidepressivo e ansiolítico natural;
  • Guarde mensalmente o dinheiro que gastaria em tabaco – utilize esse valor para investir em alguma atividade que lhe dê prazer.

 

 

Sente o peso da culpa?

A culpa surge da necessidade de respondermos aos padrões impostos pela sociedade e à perceção de que não temos os recursos necessários para o fazer.

É comum assumirmos responsabilidades excessivas ou que poderiam ser partilhadas e quando não conseguimos cumprir com o padrão autoimposto surge a culpa, que nos pode levar por caminhos penosos de autodepreciação e autopunição.

Este sentimento é perturba a saúde física e mental e pode levar à depressão. As pessoas que sofrem de depressão tendem a culpar-se de modo excessivo, o que dificulta a procura de soluções. Por outro lado, o sentimento de culpa exacerbado pode diminuir a motivação. Como fuga ou autopunição, por vezes as pessoas refugiam-se no álcool, drogas, comer compulsivamente e comportamentos de automutilação.

Sente o peso da culpa? A culpa pode ser literalmente um peso – uma sensação de peso corporal aumentado ou da postura curvada.

 

O bem-estar mental é um direito que deve estar ao alcance financeiro de todos. Saiba como em psic.com.pt/prosocial.

 

psic-equipa-ritalopes

Rita Lopes – Psicóloga Clínica