Teste: É agressivo com quem mais ama?

A agressividade é um assunto muito debatido na atualidade no âmbito da violência doméstica e não só. Alguma vez pensou no sofrimento das pessoas que não têm autocontrolo ao ponto de libertarem toda a sua carga emocional e frustração nos que o rodeiam? E como é no seu caso? Também sente dificuldades em controlar as suas emoções? Por vezes, sente desconforto e incapacidade em controlar o seu comportamento acabando mesmo por ser violento? Por vezes sente-se culpabilizado por ser incapaz de controlar o seu comportamento impulsivo e torna-se mais agressivo com os outros?

Responda aos itens abaixo, com sim ou não, e verifique se está de acordo ou desacordo com cada um, consoante as suas ações nos últimos tempos.

E-mail:

1 – Consegue tolerar uma opinião diferente da sua?
SimNão

2 – Fica agressivo (a) quando é contrariado (a) ou algo não corre como planeado?
SimNão

3 – Fica agressivo (a) quando a (o) sua (seu) parceira (o) decide sair com amigos (as)?
SimNão

4 – Costuma ter muitas discussões em que o tema são os amigos e familiares?
SimNão

5 – Tem alterações de humor com facilidade?
SimNão

6 – Costuma fazer muitas críticas ao outro?
SimNão

7 – Costuma fazer autorreflexões sobre si e sobre o seu comportamento?
SimNão

8 – Faz promessas difíceis de cumprir?
SimNão

9 – Sente que os outros querem aproveitar-se de si?
SimNão

10 – Tem uma boa relação com os familiares da (o) sua (seu) parceira (o)?
SimNão

11 – Gosta de ter tudo sobre o seu controlo?
SimNão

12 – Costuma mentir?
SimNão

13 – Costuma chantagear para obter o que quer?
SimNão

14 – Já humilhou e/ou insultou publicamente a (o) sua (seu) parceira (o)?
SimNão

15 – Sente que na sua vida não existe um meio-termo ou está tudo muito bem ou muito mal?
SimNão

16 – Sente ciúmes excessivos pela (o) sua (seu) parceira (o) chegando a ser agressivo (a)?
SimNão

17 – Controla o dia-a-dia e o telemóvel e/ou as redes sociais da (o) sua (seu) parceira (o)?
SimNão

18 – Considera que quando perde o controlo do seu comportamento a culpa é dos outros?
SimNão

19 – Já alguma vez foi violento (a) e agressivo (a) com a (o) sua (seu) parceira (o)?
SimNão

Se respondeu “sim” a mais do que três afirmações, procure ajuda profissional urgentemente. Os comportamentos agressivos podem ter muitas explicações, e muitas vezes estão associados à dificuldade que sentimos em lidar com as emoções negativas e com as situações de conflito, recorrendo à violência como forma de as resolver.

Lembre-se, todos nós humanos, vivemos algumas situações de maior frustração, assim como emoções negativas, como medo, tristeza, frustração, revolta que são indicadores de que algo não está bem connosco mesmos e que, portanto, é preciso mudar. Podemos ajudar a encontrar novas formas para lidar com as suas dificuldades, a relativizar as situações que o incomodam, a mudar o seu comportamento e reações e a extinguir todo o seu sofrimento. Para saber mais, procure-nos para uma consulta informativa gratuita.

PS: Se respondeu “Sim” a 2 ou menos perguntas, aproveite para fazer este teste:

É uma pessoa ciumenta? Teste o seu ciúme com 4 perguntas.

É uma pessoa ciumenta? Teste o seu ciúme com 4 perguntas.

A minha vida não tem sentido!

“A minha vida não tem sentido!” Este foi o pedido de ajuda de Dolores. Muitos de nós sofremos traumas. Talvez de abuso sexual ou talvez de agressão na infância ou talvez um acidente que não conseguimos esquecer e que ficou lá no fundo da nossa mente, suprimido da nossa memória e sofremos sem saber o porquê! Carregamos essa dor, imersos em silêncio durante anos ou até mesmo décadas a fio, perdendo o sentido da vida, desconhecendo que é possível curar essas feridas da alma.

Sinto-me gratificada e feliz ao ver que através da hipnoterapia, a Dolores mudou a sua história. Após longos anos de depressão, e muita raiva a todos os que a rodeavam e à vida, ela conta que superou o abuso sexual que sofreu na infância, e como reencontrou o sentido para a sua vida, deixou um trabalho que não gostava e que lhe causava stress, começou a sentir-se com mais energia, alegre, proativa e feliz consigo mesma e com a sua família e até encontrou a sua vocação profissional. Conta ainda, por outro lado, que pode ajudar uma irmã e uma amiga que passaram pelo mesmo, aconselhando-as a resolveram os seus sofrimentos e traumas da infância.

Caso tenha vivido situações semelhantes na sua vida, poderá também ajudar-se e libertar-se do seu passado, curar as feridas da sua vida e possivelmente ajudar outras pessoas, a reencontrar o caminho e um novo sentido. Contacte-nos para uma consulta informativa gratuita.

Jatir Schmitt
Diretora do Corpo Clínico e Psicóloga Clínica

Como viver melhor com estas 8 dicas

A vida por vezes surpreende-nos. Exige que avancemos mesmo quando não sentimos motivação ou capacidade para avançar. Faz com que sejamos autocríticos e nos tornemos os nossos piores inimigos. Outras vezes, sentimos um vazio inesperado, uma tristeza incomparável ou uma ligeira desmotivação. E aos poucos, estas sensações tornam-se verdadeiramente incapacitantes, incisivas e difíceis de extinguir.

Preocuparmo-nos com nós próprios deve ser a nossa prioridade. Adotar hábitos de vida saudáveis é um passo essencial para uma saúde plena. Siga estas 8 dicas e aumente definitivamente o seu bem-estar:

Crie momentos bons e promova-os
Torne-se o único responsável pelo seu bem-estar. Aceite que existem dias que nos fazem sentir distintas emoções que podem esgotar-nos velozmente, porém entenda-as e desapegue-se delas quando sentir que é o momento certo.
Acredite mais em si e que é capaz
Só conseguirá vencer o amanhã se insistir no hoje. Valorize aquilo que já possui, e percecione o que pretende alcançar.
Invista mais em si, incentive-se mais
Pratique mais otimismo para a sua vida, evite a vitimização, porque toda a pessoa humana tem forças em si mesmas, capazes de nos mover quando adotamos novos trajetos, restabelecendo as fraquezas e adaptando-as em resistências emocionais e espirituais.
Expulse o Stress
O stresse pode ser considerado também como um conjunto de respostas físicas e mentais de uma incapacidade de distinguir entre o real e as experiências e expectativas pessoais. Tente descobrir o que pode estar a causar tensão e aborrecimento e tente contornar essas causas. Mantenha bons pensamentos; cultive bons propósitos. Relaxe, esvazie a mente de preocupações!
Antecipe-se à doença
A deteção precoce de algumas doenças, sobretudo as oncológicas, é essencial para um tratamento mais eficaz. Tente estar atento a sintomas ocasionais. E lembre-se que é importante realizar rastreios de saúde com frequência! Esteja vigilante e atento.
Dedique-se à atividade física
Dedique os seus tempos livres para realizar alguma prática de atividade física. Procure exercitar-se em locais que lhe permitam o contacto com a natureza. Como por exemplo, uma caminhada à beira-mar, permita que as ondas molhem os seus pés, enquanto caminha. Ao mesmo tempo, inspire e expire calmamente, e vá deixando para trás tudo o que lhe for desconfortável e incómodo, aproveite essa caminhada para revitalizar as suas energias e fazer uma limpeza emocional em si mesmo.
Mantenha uma boa alimentação.
Uma dieta variada e saudável é a chave de ouro para uma boa alimentação e para nos sentirmos bem. Procure escolher bons alimentos, que sejam nutritivos, saudáveis, essenciais para atingir as recomendações nutricionais do seu corpo. Analise por outro lado, quais os alimentos que lhe causam desconforto e possíveis intolerâncias alimentares. Exclua-os da sua alimentação optando por outros mais adequados que sejam mais apropriados para si, trazendo-lhe a sensação de bem-estar.
Cuide da sua Saúde Mental
Sentir-se bem consigo próprio é essencial para uma boa autoestima, e para se tornar mais otimista. Procure aprender coisas novas realizar sempre atividades que gosta, que o façam sentir-se bem!

Se perante estas dicas, sente que encontra algumas limitações ou dúvidas de como promover mudanças na sua vida e adaptar a sua rotina de forma a sentir-se melhor consigo mesmo, a Clínica PSIC pode ajudá-lo na sua autotransformação através de apoio terapêutico. Contacte-nos para uma consulta informativa gratuita.

Já agora, mantenha-se também uma pessoa positiva com estes 6 conselhos: