Os 10 sintomas mais comuns do Stress Pós-Traumático

Um acontecimento traumático pode deixar marcas mais ou menos visíveis, dependendo da intensidade do trauma. Na presença de sinais internos ou externos que recordem algum aspeto do acontecimento traumático, gera-se um sofrimento psicológico intenso ou prolongado, que pode prejudicar a forma como se relaciona com a sua família ou com aqueles que o rodeiam.

Estes são os 10 sinais mais comuns do stress pós-traumático:

  • Memórias e pensamentos intrusivos, pesadelos ou flashbacks de acontecimentos passados traumáticos;
  • Evitamento persistente de estímulos, atividades ou encontro com pessoas que provocam memórias;
  • Estado de hipervigilância;
  • Alterações do sono como, dificuldade em adormecer ou em dormir horas suficientes;
  • Irritabilidade ou estados de cólera;
  • Dificuldade de concentração;
  • Crenças ou expectativas negativas persistentes e exageradas a respeito de si próprio, dos outros e do mundo;
  • Pensamentos distorcidos sobre o acontecimento traumático, culpabilizando-se a si ou aos outros;
  • Sensação de congelamento e ideias suicidas;
  • Estado emocional negativo como medo, pavor, raiva, culpa ou vergonha.

Leia também: O que é, realmente, um trauma?

Com a intervenção adequada, é possível afastar de vez os seus fantasmas! Contacte-nos para marcar uma consulta informativa gratuita.. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Receita PSIC para o ano novo 2018: viva os próximos 364 dias como vive o 1º de Janeiro

Chegamos ao final do ano, e com ele vem aquele desejo súbito de mudança, de enterrar velhos hábitos, de estabelecer novos objetivos e resoluções para este novo ano que aí vem… Deixar de fumar, emagrecer, mudar de emprego, superar uma fobia, engravidar – a lista de resoluções pode ser mais ou menos longa, mas sentimo-nos sempre muito motivados nesta altura. Ótimo! Vamos aproveitar toda essa energia e motivação para lhe dar mais qualidade de vida, equilíbrio emocional e bem-estar em apenas 3 passos:

1 – Pense nas diferentes áreas da sua vida (familiar, profissional, pessoal, económica, social). Como se sente em cada uma dessas áreas? Quais são as mudanças que gostaria de fazer em cada uma delas?
2 – Faça uma lista dessas mesmas mudanças, quer a curto prazo quer a longo prazo. Lembre-se que poderá encontrar alguns obstáculos durante o seu percurso e aí, só terá de pensar na melhor forma de lidar com eles. Tenha também em atenção aos objetivos que estabeleceu, alguns deles podem não depender diretamente de si, mas sim dos outros. Mas neste momento, tudo depende de si, agarre em todos os seus recursos internos, energia, motivação e acredite que este ano é que vai ser.
3 – Não se esqueça que estabelecer metas sem um plano é somente um desejo. Vamos fazer com que este ano seja bem mais que um simples desejo.

A Equipa PSIC tem um plano para si: viva os próximos 364 dias como vive o 1º de Janeiro: rodeado de quem mais gosta, cheio de energia, motivação, confiança, feliz, grato e repleto de planos e metas para os próximos dias.

Jatir Schmitt- Psicóloga Clínica

 

Sabia que os presentes que oferece dizem muito sobre si?

Chegamos à época do ano marcada pela troca de prendas entre amigos e familiares. São tantas as pessoas a quem temos de dar presentes de Natal que quase banalizamos este gesto.

O ato de presentear alguém em datas comemorativas é encontrado em todas as culturas. Reflita um pouco sobre isso: talvez dar um presente a alguém tenha bastante mais significado do que o ato quase mecânico que nos leva a escolher e oferecer um mero objeto.

Sabia que o que dá de presente e a forma como o faz, esta intimamente ligado à sua personalidade? Veja com que perfil se identifica:
• Oferece presentes exclusivos ou pouco comuns. Gosta de sentir que o seu presente se destacou de todos os outros, que é especial e inesquecível.
• Compra a primeira coisa que vê e no último dia! E se o papel de embrulho estiver rasgado vai assim mesmo!
• Compra os presentes com antecedência e cuida de todos os detalhes para que tudo seja perfeito.
• Compra presentes que não são meros objetos, tentando fugir do tradicional optando por algo mais inovador como uma viagem, um fim-de-semana fora, um jantar romântico ou uma ida ao spa.
Afinal, dar um presente não tem nada de banal. Reflita sobre a sua intenção e perceba a carga de amor e afeto com que embrulha esse mesmo presente.

Esperamos que todas as pessoas que presenteou, se sintam amadas e importantes para si! A PSIC deseja-lhe um BOM NATAL!
Jatir Schmitt- Psicóloga Clínica