Porque é que as pessoas cometem suicídio?

Há tantas pessoas a pensar em suicídio e por vezes tão desesperadas! É por isso que temos urgência em falar sobre suicídio e nos motivos que levam as pessoas a cometer suicídio. E o que é o suicídio? O suicídio é um ato de morte provocado e propositado para pôr um fim à própria vida. Muitos estudos revelam que os homens cometem mais suicídio, porém as mulheres são as que fazem mais tentativas.

Em Portugal, as doenças mentais mais comuns estão associadas aos casos de suicídio, particularmente a depressão. Por outro lado, também os casos de violência física e/ou sexual, as perdas e/ou rejeição, a negligência, e o luto são os principais acontecimentos de vida que estão muito associados ao suicídio. Sabemos ainda que na maioria dos casos, o impulsor do comportamento suicida está interligado à existência de conflitos no relacionamento familiar ou amoroso, perdas ou até dificuldades económicas.

Cada vez mais é indispensável refletir sobre a relação da ocorrência do suicídio com emoções como a frustração, o sofrimento e a perda emocional. A esta possibilidade podemos também refletir acerca dos fatores que podem ser as componentes do suicídio, nomeadamente: isolamento social; história familiar; problemas e dificuldades socioeconómicas; dificuldades interrelacionais; problemas relacionados com consumo de substâncias psicoativas (e.g., álcool, drogas, entre outros); acontecimentos de vida stressantes (e.g., desemprego, divórcio, fim de relacionamento…) e doenças mentais (e.g., depressão).

É comum, termos contacto com pessoas e familiares que vivenciaram situações traumáticas ou perdas significativas e como consequência mergulham num grande sofrimento interno, sentem dificuldades em expressar por palavras a dor vivida e assim, em desespero encontram na morte uma saída. Devemos estar atentos e compreender os sentimentos e emoções da pessoa que pensa ou já tentou o suicídio como forma de reduzir a sua angústia.

Esteja atento às nossas próximas publicações, iremos falar acerca dos principais Mitos sobre o Suicídio que podem ajudá-lo a identificar sinais, quer em si quer em alguém próximo de si, que possa estar em risco. Se quiser saber mais sobre este tema, consulte-nos para uma consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Como saber se é vítima de violência psicológica?

Violência psicológica é toda a ação que causa ou visa causar dano à autoestima, à identidade ou ao desenvolvimento da pessoa. A violência psicológica passa por ameaças, humilhações, chantagem, cobranças de comportamento, discriminação, exploração, crítica pelo desempenho sexual, rejeição, depreciação, desrespeito, punições ou castigos exagerados, isolamento de amigos e familiares, intimidação, domínio económico e até ameaça de morte.

Hoje, temos consciência de que a violência psicológica ou emocional é uma agressão tão ou mais prejudicial que a violência física e é considerada a mais silenciosa de todas as formas de violência. É por ser subtil, que muitas vezes é dificilmente identificada, e em alguns casos, nem a própria pessoa que é violentada tem a real noção de que está a ser alvo deste tipo de agressão.

Frequentemente o “plano” usado pelo agressor passa pela mobilização emocional e psicológica da pessoa vitimizada para satisfazer todas as suas necessidades de atenção, de carinho e de importância. Disfarçadamente o agressor tenta inferiorizar a pessoa, tornando-a dependente e aumentando os seus sentimentos de culpa.

Os efeitos da violência psicológica são vastos e podem permanecer durante muito tempo silenciosos, deixando “cicatrizes” emocionais para o resto da vida!

Se está perante um relacionamento abusivo, em que sente constantemente um sentimento de culpa, de incapacidade e inutilidade, ajude-se a si mesmo (a). Pare de permitir que os comportamentos destrutivos da sua relação lhe retirem qualidade de vida! Contacte-nos para que possamos ajudar a enfrentar a situação e a recomeçar uma nova etapa da sua vida. A consulta informativa é gratuita e pode ser o 1º passo para se libertar e começar a viver a sua vida! As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Leia também:

O que precisa de saber sobre pesadelos (e como acabar com eles)

Os pesadelos são sonhos angustiantes, caracterizados pelo forte conteúdo emocional e sensação de ameaça à sobrevivência ou à segurança, que acontecem no sono profundo (sono REM), e originam um despertar abrupto e agitado.

Os pesadelos podem surgir devido ao consumo de medicamentos ou outras substâncias, porém, em geral, os pesadelos ocorrem quando experienciamos grandes níveis de ansiedade psicológica, sendo a sua principal causa psicoafectiva. Quanto maior a frequência dos pesadelos, maior a tendência para ter dificuldades em adormecer, menor a duração e maior a fragmentação do sono devido ao despertar noturno repentino.

Após o despertar noturno, normalmente experienciamos uma emoção de alívio quando percebemos que o que estava a ocorrer não era real. Mas por vezes, mantemos na memória pensamentos acerca do pesadelo, e ao longo do dia perduram emoções com uma carga emocional muito intensa – elevados níveis de angústia e ansiedade, devido às inquietações suscitadas pelos pesadelos.

Também pode acontecer que, com receio destes pesadelos, evitemos adormecer, o que provocará sonolência excessiva de dia, falta de concentração, maior ansiedade ou irritabilidade, o que pode culminar em quadros de depressão, ataques de pânico e até dor crónica.

Se está, ou conhece alguém que esteja a passar por uma situação de pesadelos recorrentes, que o impede de descansar e que prejudica a sua saúde física, mental e emocional, saiba como transformar os pesadelos em sonhos lúcidos! Conheça o nosso programa de intervenção para perturbações do sono.

Contacte-nos para obter uma consulta informativa gratuita.
As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).