Qual é a função dos neurotransmissores no equilíbrio das nossas emoções?

Existem inúmeras reações do nosso corpo que influenciam o nosso humor, disposição e felicidade, e importa compreender os efeitos das mesmas no nosso comportamento. É também muito útil compreender como é possível estimular sensações e emoções boas, de forma a contribuir para um estilo de vida mais saudável e seguro.

O que são os neurotransmissores?

De acordo com a Neurociência, os neurotransmissores são agentes que transpõem informações acerca de uma determinada emoção ou comportamento em forma de reação química, denominada de sinapse.  Dentre os neurotransmissores atuantes nos nossos processos emocionais destacam-se as monoaminas: serotonina, noradrenalina e dopamina.

É possível afirmar que os neurotransmissores moldam, de muitas maneiras, a forma como vivemos a vida e quem somos. Assim sendo, vamos começar por esclarecer o propósito e/ou efeitos que os neurotransmissores assumem no nosso comportamento.

Os 3 principais neurotransmissores emocionais

  1. Serotonina – Sensação de bem-estar e felicidade. Os seus níveis são afetados pelo exercício físico e pela exposição à luz solar. Ajuda a equilibrar o humor, o ciclo do sono e a digestão. Insuficiência de serotonina: Pode surgir depressão, irregularidade no humor, enxaquecas e perturbação disfórica pré-menstrual – a nossa famosa TPM.
  2. Noradrenalina – Influencia o humor, ansiedade, sono e alimentação. Possui como uma das suas principais funções, aumentar a energia química no organismo para dar respostas rápidas em situação de stress. Contribui, também, para aumentar a vigília e a atenção. Insuficiência de noradrenalina: Pode ocorrer ansiedade, instabilidade emocional e depressão.
  3. Dopamina – Relacionada ao prazer, satisfação, vício, movimento e motivação. A sinalização da dopamina é essencial para o sistema de recompensa do cérebro, influenciando o indivíduo a repetir comportamentos que levam à libertação desta. Estes comportamentos podem ser naturais, como na alimentação e na atividade sexual, ou patológicos, como na dependência de drogas e jogos. Insuficiência de dopamina: Pode surgir um quadro de depressão, ansiedade, baixa capacidade de memorização, concentração e, até mesmo, a doença de Parkinson.

Como podemos evitar uma insuficiência de neurotransmissores?

Abaixo, indicamos-lhe algumas formas de estimular a produção de neurotransmissores no cérebro, potenciando um estilo de vida mais saudável, através de:

  • Exercício físico – Melhora o fluxo de nutrientes para o cérebro e aumenta os níveis de dopamina, serotonina e noradrenalina.
  • Alimentação equilibrada – Refeições ricas em nutrientes como tirosina, ácidos graxos, ômega 3 e aminoácidos, presentes em frutas, legumes, peixes e ovos, elevam os níveis de dopamina.
  • Cuidado com a saúde intestinal – A nossa flora intestinal regula e impacta quase todas as hormonas no nosso corpo, incluindo tireoidianos, estrogênio e a melatonina. Alguns destes, tem conexão direta com funções vitais do nosso corpo na produção de neurotransmissores.
  • Meditação – Melhora o foco, aumenta a capacidade de concentração e eleva os níveis de dopamina no corpo.
  • Ouvir música – Ativa o sistema de recompensa, consequentemente, a libertação de dopamina e causa um bem-estar.

Curiosidade: A inexistência e/ou baixa exposição à luz solar e a falta de exercício físico interfere com o nosso ciclo do sono. Isto justifica, em parte, a possibilidade das insónias durante o confinamento. Os indivíduos com graus diferenciados de cegueira, devido à má perceção de luminosidade têm dificuldades em produzir melatonina, responsável pela iniciação do sono, que advém da serotonina, tendo que recorrer a medicação.

O equilíbrio dos neurotransmissores é suficiente?

É importante salientar que é difícil um equilíbrio dos neurotransmissores quando a harmonia com o que sentimos está comprometida. É fundamental investirmos num estado de equilíbrio, pois este permite um controlo das nossas emoções de forma a propiciar o surgimento de bons sentimentos e consequentemente, bons comportamentos. Assim sendo e com o propósito de atingirmos um estado de equilíbrio, é aconselhável recorrermos a um psicólogo como ação preventiva e de manutenção, com o intuito de promover um estado geral de saúde do corpo e da mente. Deste modo, podemos seguir com maior segurança.

Como é que a PSIC – Psicologia Integrada pode ajudar?

É compreensível que as dicas sugeridas possam ser insuficientes, dado o momento atual. A PSIC – Psicologia Integrada pode ajudar da seguinte forma: identifica e elimina as barreiras que impedem a autoaplicação, auxilia a obter uma maior capacidade no controlo das emoções, modulação dos sentimentos, processamento rápido de informações através de intervenções psicossensoriais e de neuromodulação, de modo a estimular a produção equilibrada dos neurotransmissores. Para desenvolver comportamentos adaptativos e preservar a saúde poderá conhecer melhor os programas e modalidades terapêuticas da PSIC, através de uma consulta informativa gratuita, presencial ou online.

Leia também:

Partilhar

Mensagem Final

Ao longo destas cinco semanas pudemos experimentar práticas que ajudam a fazer diferença na nossa autoestima.

A história que vou contar pode ser sua conhecida ou não, mas de certeza que irá reconhecer-se nela.

Escute-a.

Partilhar

Atividade Física

Caminhe para aumentar a autoestima

Ter uma vida equilibrada é indispensável para assumir o domínio da sua vida. A atividade física é uma grande aliada no plano para aumentar a autoestima.

Sem tempo para fazer exercício físico?

As nossas rotinas diárias servem como desculpa para a inatividade e sedentarismo. O dia tem vinte e quatro horas para mim, mas para si também.

Ir ao ginásio está fora de questão? Então, use a sua rotina em seu benefício para se mexer.

Considere as coisas simples, são elas que fazem a diferença!

Partilhar

Alimento Emocional: vídeo

Partilhar

O Sono

A qualidade de uma boa noite de sono determina a qualidade do nosso dia. Se refletirmos sobre isto vamos perceber que a longo prazo a nossa qualidade de vida é determinada pelos hábitos que mantemos.

Uma boa noite de sono ajuda a prevenir doenças e restabelece as nossas capacidades mentais.

Vai também sentir-se melhor e o seu dia será mais positivo. Isto fará diferença na sua autoestima.

Lembre-se que mudar padrões exige persistência, por isso não desista, insista.

Partilhar

O Banho

 

Cuidar de nós mesmos afetuosamente pode parecer exigir recursos que pensamos inacessíveis. Nós temos recursos e oportunidades ao nosso alcance que nos passam despercebidos e são ignorados.

O banho é o momento em que estamos connosco, porque não beneficiar dele em nosso proveito?

Cuidar de nós afetuosamente deve fazer parte da nossa rotina diária.

Experimente durante esta semana cuidar do seu corpo com afeto e aproveite para fazer uma limpeza emocional.

Siga estas orientações e aplique-as no momento em que estiver a tomar banho.

Sinta a água morna e agradável cair sobre si. Permita-se relaxar. Enquanto a água cai imagine que essa água leva as emoções negativas do dia.

Permita que essa água leve embora a culpa, raiva, medo, insegurança, tristeza, autocrítica…

Deixe que essa água leve também os desconfortos físicos: cansaço, dor, mau estar, indisposição…

No final limpe-se com uma toalha macia e de forma suave…

Abençoe e agradeça ao seu corpo…

Fique atento à reação do seu corpo e registe mentalmente. Perceba a diferença.

Partilhar

Consciencialização

O nosso dia-a-dia é pautado pela correria. Temos o tempo contado para todos os nossos afazeres e as vinte e quatro horas parecem não ser suficientes. Não resta tempo para nada, pensamos nós. Até que um dia acordamos e já nem temos a certeza de quem somos. Olhamos ao espelho e a pessoa que vemos é a lembrança de alguém que conhecemos vagamente.

Por alguns minutos olhemos para a pessoa que está à nossa frente no espelho.

Este exercício vai permitir tomar consciência do seu valor pessoal, qualidades e limitações.

Partilhar

Quer Assumir o Domínio da Sua Vida

Resoluções de Ano Novo?

Com o aproximar de um novo ano reafirmamos os nossos desejos: perder peso, deixar de fumar, trocar de emprego ou de casa.

Sabia que a maioria das resoluções de Ano Novo não chega a ser concretizada?

Estabelecer um Plano de Ação ajuda a nortear o rumo que queremos traçar para atingir o nosso objetivo.

Plano de Ação:

1º TOME CONSCIÊNCIA

Tem consciência do seu valor pessoal, qualidades e limitações?

2º INVISTA EM SI

Tem por hábito tratar-se afetuosamente?

3º ADQUIRA OS RECURSOS

Não sabe por onde começar?

4º META E OBJETIVOS

Defina o momento para iniciar este programa.

5º PONHA EM PRÁTICA

Praticar todos os dias para consolidar os novos hábitos.

Preparado? Preparada?

Acompanhe-nos durante as próximas seis semanas.

Partilhar

Passo 6 – O Presente

Partilhar

Passo 5 – Liberte-se do Lixo Emocional: vídeo

Sente cansaço e falta de agilidade?

Experimenta emoções e sentimentos negativos?

Quer libertar-se deles?

Substitua o lixo físico e emocional e adquira o bem-estar do corpo e da mente.

Partilhar