Tenho vergonha de ir a um psicólogo…

Muitas pessoas sentem necessidade e interesse em ir ao psicólogo. No entanto, o preconceito, a vergonha e muitos outros sentimentos fazem com que a pessoa adie a procura de um profissional da área. Todos nós em algum momento da vida necessitamos que alguém nos ajude a resolver os nossos conflitos internos, a superar as nossas dificuldades e a ressignificar histórias e sentimentos.

Um psicólogo é tão válido e precioso como qualquer médico de outra especialidade

Quando temos algum problema de saúde, imediatamente procuramos um médico da especialidade. Então porque é que quando não estamos bem emocionalmente não procuramos um psicólogo? Liberte-se de tabus e de ideias arcaicas como: “Os psicólogos são para os malucos ou para os fracos”.

Procurar ajuda terapêutica é um sinal de desenvolvimento, consciência, maturidade, amor próprio e coragem para atingir o seu equilíbrio emocional e bem-estar.

Caso seja uma dessas pessoas que insiste em adiar a psicoterapia, livre-se de todas esses pensamentos que atrapalham a sua vida e procure um profissional da área.

Lidar com os efeitos da psicoterapia

Se já deu este passo, ficamos muito felizes por si. Aproveite cada minuto da sua psicoterapia. Agora, terá de libertar-se da necessidade de no final da terapia sair pela “porta dos fundos” para que ninguém o veja ou para que ninguém perceba que esteve a chorar, bem como a necessidade de dizer numa chamada telefónica que está no médico ou no dentista. Tenha orgulho do passo que tomou e não o esconda de ninguém. Quando sai do dentista não esconde o efeito que a anestesia faz ao seu rosto, pois não? É normal, tão normal como os seus olhos vermelhos por ter chorado, depois de uma consulta de psicologia.

Não deixe para depois a sua psicoterapia, nem que nenhum preconceito ou vergonha o façam deixar de lado o seu bem-estar. Visite-nos na Clínica PSIC e receba uma consulta informativa gratuita, temos ao seu dispor profissionais qualificados que o poderão ajudar.

O bem-estar mental é um direito que deve estar ao alcance financeiro de todos. Se é estudante, está desempregado ou numa situação económica fragilizada, saiba como usufruir de preços ajustados à sua realidade em psic.com.pt/prosocial

Jatir Schmitt- Psicóloga Clínica

Partilhar

Sabe o que pode estar a magoar os seus pulmões (mesmo que não seja fumador)?

Sabia que a saúde pulmonar está associada à predisposição à vida, à vontade de interagir com o ambiente ao nosso redor e à capacidade de manter relações interpessoais?

Todos sabemos que os pulmões são órgãos do sistema respiratório e que a sua principal função é oxigenar o sangue e eliminar o dióxido de carbono do nosso organismo. Os pulmões são também considerados órgãos de contacto e relacionamento com a vida e com o ambiente. São órgãos que refletem a nossa capacidade de absorver o que existe no exterior, bem como a nossa capacidade para exteriorizar emoções, pensamentos e ideais. Há assim um processo de troca, onde se dá mas também se recebe.

As doenças pulmonares são as principais causas da morte da maioria das pessoas que desistem da vida, quer seja por uma doença grave, por uma grande desilusão, pela perda de alguém ou por uma tristeza profunda. Muitas das vezes o receio de se envolver em algumas situações da vida, de dar os primeiros passos para a independência e o medo de receber um não, também são fatores emocionais que podem originar problemas nos pulmões.

Se quer prevenir doenças pulmonares, já sabe, mantenha-se disposto a viver a vida e a lidar com as mais diversas situações do seu dia-a-dia. A PSIC pode ajudá-lo a manter os seus pulmões saudáveis, cuidando da sua saúde emocional!

PS: Se é fumador, o risco de problemas nos pulmões é ainda maior! Saiba como podemos ajudar aqui.

O bem-estar mental é um direito que deve estar ao alcance financeiro de todos. Se é estudante, está desempregado ou numa situação económica fragilizada, saiba como usufruir de preços ajustados à sua realidade em psic.com.pt/prosocial

Jatir Schmitt- Psicóloga Clínica

Partilhar

Como evitar que as emoções façam mal ao coração

O coração é um órgão dinâmico ao qual dedicamos mais atenção e isso deve-se à sua extrema importância para o funcionamento do nosso organismo: comanda outros órgãos e vísceras, os vasos e o sangue e controla o suor. Tem também outras funções essenciais: é a nossa consciência – um órgão essencial para as nossas emoções, diretamente conectado com o cérebro através de milhares de feixes nervosos. É do nosso coração que saem as emoções mais autênticas e poderosas, tal como o amor e a euforia. As mesmas emoções que mal administradas podem provocar danos irreparáveis, como as doenças cardíacas.

Os problemas de coração são dos mais comuns entre a população portuguesa, podendo corresponder até 12 anos de vida perdidos. Podem ser decorrentes de desequilíbrios emocionais intensos e duradouros que se manifestam como a tristeza, ansiedade, stress, depressão, insónia, apatia, falta de memória, entre outros.

É importante pensar sobre a forma como encara a sua vida, como lida com as emoções negativas e de que modo incentiva as positivas. Questione se aquilo que sente e o que pensa está em harmonia ou se se permite sentir e expressar emoções. Este é o primeiro passo para a saúde do seu coração. Saiba como a PSIC pode ajudar neste passo, cuidando da sua saúde emocional

O bem-estar mental é um direito que deve estar ao alcance financeiro de todos. Se é estudante, está desempregado ou numa situação económica fragilizada, saiba como usufruir de preços ajustados à sua realidade em psic.com.pt/prosocial

Jatir Schmitt- Psicóloga Clínica

Partilhar

Como melhorar a sua saúde de uma vez por todas

Quando o assunto é saúde, todos dedicamos algum do nosso tempo a procurar informação sobre o tema, os melhores profissionais e comportamentos mais saudáveis – mantendo uma alimentação equilibrada, praticando exercício físico ou fazendo exames de rotina.

Mas quando falamos de saúde mental, o nosso comportamento é outro: “Hoje não tenho tempo”, “Amanhã estou melhor”, “Isto é uma fase e não é preocupante”, “Não posso dar-me ao luxo de ir ao psicólogo”. São inúmeras as desculpas para deixarmos a saúde mental para segundo plano, esquecendo-nos de um facto muito importante – saúde mental e física estão intimamente ligadas, influenciando-se mutuamente!

Nos últimos meses, temos vindo a falar da forma como as emoções podem adoecer o nosso corpo – como por exemplo os rins ou o fígado.

Quando a nossa saúde emocional está fragilizada isso tem um impacto direto em vários órgãos do nosso corpo e na produção de neurotransmissores que influenciam o nosso humor, motivação e a forma como nos relacionamos com os outros.

Dê importância à sua saúde como um todo. Tire um tempo para olhar para dentro de si e pergunte-se: como me tenho sentido? O que me tem impedido de funcionar plenamente?

Pelo seu bem e dos seus, cuide da sua saúde mental, emocional e física.

O bem-estar mental é um direito que deve estar ao alcance financeiro de todos. Se é estudante, está desempregado ou numa situação económica fragilizada, saiba como usufruir de preços ajustados à sua realidade em psic.com.pt/prosocial

Jatir Schmitt – Psicóloga Clínica

Partilhar

Porque é que as emoções podem estar a desgastar o seu fígado

O fígado tem múltiplas funções, estando associado, entre outras, ao armazenamento e produção de energia, à desintoxicação das toxinas no nosso organismo. Segundo a Medicina Tradicional Chinesa, o fígado é responsável por garantir o livre fluxo de energia no nosso corpo. Assim, quando a energia do fígado está bloqueada, todos os outros órgãos serão afetados por este desequilíbrio.

 

Este órgão é particularmente vulnerável à raiva, ira, irritação, indignação, frustração e ressentimento. Habitualmente, a repressão das emoções sobretudo da raiva, provoca o bloqueio da energia do fígado, conduzindo à quebra do fluxo natural de energia e à acumulação de toxinas e, consequentemente, origina a doença. O fígado desempenha, portanto, um papel fundamental no correto funcionamento dos outros órgãos e na regulação das nossas emoções, uma vez que a oscilação no fluxo de energia também provoca oscilações de humor.

 

Se quer prevenir problemas de fígado não reprima as suas emoções. Estas emoções reprimidas desgastam, descontrolam, destroem e impedem que o seu organismo funcione em pleno.

 

E se as emoções reprimidas podem prejudicar o seu fígado, descubra o que podem estar a fazer aos seus rins no nosso artigo Pode ser esta a causa para os seus problemas de rins.

O bem-estar mental é um direito que deve estar ao alcance financeiro de todos. Se é estudante, está desempregado ou numa situação económica fragilizada, saiba como usufruir de preços ajustados à sua realidade em psic.com.pt/prosocial

Jatir Schmitt- Psicóloga Clínica e Hipnoterapeuta

Partilhar

Porque deve parar de reprimir as suas emoções… imediatamente!

Emoções de elevada intensidade quando não são expressas podem causar danos no nosso corpo e manifestarem-se sob a forma de várias doenças. Ao reprimir frequentemente as suas emoções leva a que estas fiquem gravadas no seu corpo conduzindo a um desconforto corporal, tensão ou, em casos extremos, a doenças graves de saúde.

 

Estas são as principais doenças físicas associadas a cada emoção reprimida.

Doenças
Emoção
 Fígado
Raiva; Ira
Pulmões
Tristeza; Pesar
Estômago
Angústia; Preocupação
Coração
Euforia
Rins
Medo

 

Apesar de culturalmente termos sido incentivados a ignorar as nossas emoções (“NÃO chores”, “NÃO fiques assim…”, “NÃO te preocupes”, “NÃO te enerves” “NÃO tenhas medo”…), devemos expressá-las livremente, porque o nosso corpo não se esquece daquilo que nós muitas vezes queremos ignorar.

 

Se quiser saber mais sobre esta temática consulte o artigo Como os problemas emocionais se transformam em doença ou entre em contacto connosco.

Em breve iremos abordar cada uma das doenças e emoções associadas. Esteja atento.

O bem-estar mental é um direito que deve estar ao alcance financeiro de todos. Se é estudante, está desempregado ou numa situação económica fragilizada, saiba como usufruir de preços ajustados à sua realidade em psic.com.pt/prosocial

Jatir Schmitt – Psicóloga Clínica e Hipnoterapeuta

Partilhar

Escute-se. Conheça-se. Recrie-se. Transforme a sua vida com o Grupo ReCriar.

Grupo ReCriar – o que é?

Provavelmente você deseja compreender e dominar as suas emoções. É possível que queira relaxar o corpo e acalmar mente. Anseia terminar o dia sem aquele peso nos ombros. Precisa melhorar a sua autoestima e o amor-próprio. Sonha ser assertivo e superar os obstáculos que impedem a sua vida de seguir o rumo que deseja.

Com a participação neste grupo poderá compreender e equilibrar as suas emoções, aprender a lidar de forma mais relaxada com os obstáculos que a vida impõe e ativar as suas capacidades internas. O ReCriar é um (re)encontro com o seu Eu, para criar harmonia e equilíbrio em tudo o que faz e seguir o seu propósito.

Participará num grupo fechado e protegido, com encontros semanais, onde irá vivenciar e aprender exercícios práticos e técnicas de auto aplicação para a vida.

 

As inscrições decorrem entre 4 e 15 de setembro. Contacte-nos.

Programação

Entrevista preliminar e inscrições: De 4 a 15/setembro/2017, sob marcação
Duração: 19/setembro a 21/novembro/2017
Horário: Terça-feira das 19h30m às 22h30m
Nº de encontros: 10 encontros de grupo e 2 entrevistas individuais

Investimento

Inscrição -30€
Até 19/setembro – 300€ ou pagamento em 3 prestações – 330€

Participantes

Entre 10 e 15 pessoas

Orientação

Jatir Schmitt
Psicoterapeuta, Hipnoterapeuta e Terapeuta Psicossensorial

Local

PSIC – Psicologia Integrada
Rua da Ramadinha, 153 – Mafamude – Vila Nova de Gaia

Contactos

225 020 828 / 968 931 541
psic@psic.com.pt

 

Partilhar

“O que a nossa mente quer e precisa para sermos quem somos”

O acompanhamento psicológico, habitualmente, é visto como um processo terapêutico que visa reduzir ou eliminar sintomas que provocam sofrimento a vários níveis. É importante realçar que não se limita a esta função. O acompanhamento psicológico também promove o desenvolvimento pessoal. Permite que a pessoa desenvolva o conhecimento sobre si própria, sobre quem é, sobre as suas ações e sobre as suas capacidades e potencialidades.

A seguir apresento-vos o testemunho de Manuel Nogueira, um jovem que através de um acompanhamento psicológico intensivo conseguiu (re)encontrar-se e sentir-se bem com quem é.

Quando contactei com a PSIC foi no intuito de resolver-me e de sentir-me confortável com quem sou. O facto de sentir que consegui mais do que isso foi inesperado, mas mostrou-me do que sou capaz com a ajuda e o apoio das pessoas corretas. Nunca duvidei dos métodos utilizados quer pela sua simplicidade, quer pelos resultados. Foi perceber que com a PSIC conseguimos o que a nossa mente quer e precisa para sermos quem somos. Descobri quem sou e o que me define, mas também percebi o que me deprimiu e como agir quanto a isso. Fez-me voltar a mim.

Consulte mais testemunhos sobre este e outros temas aqui.

O bem-estar mental é um direito que deve estar ao alcance financeiro de todos. Se é estudante, está desempregado ou numa situação económica fragilizada, saiba como usufruir de preços ajustados à sua realidade em psic.com.pt/prosocial

Jatir Schmitt – Psicóloga Clínica e Hipnoterapeuta

Partilhar

Lidar com a Ansiedade

Lidar com ansiedade

Lidar com ansiedade

Partilhar

Falo sozinho… estarei a ficar doido?

Apesar de falar sozinho, habitualmente, ser associado à insanidade, a realidade parece ser bastante diferente.

 

Segundo o artigo Não tem o hábito de falar sozinho? É melhor começar…  publicado na revista Visão Mais, falar sozinho faz bem.

A ciência tem revelado inúmeros benefícios de falar sozinho. Ouvir-se em voz alta pode:

  • ajudar a concentração
  • ajudar a organizar o seu pensamento
  • ajudar a memorizar os conteúdos com mais facilidade.
  • ser uma ferramenta de auto tranquilização
  • promover a autoconfiança.

 

Conversar consigo mesmo é, portanto, um comportamento saudável e que pode trazer vários benefícios para a sua saúde e bem-estar.

Se fala sozinho, não se preocupe. Se não fala… talvez seja melhor começar!

O bem-estar mental é um direito que deve estar ao alcance financeiro de todos. Se é estudante, está desempregado ou numa situação económica fragilizada, saiba como usufruir de preços ajustados à sua realidade em psic.com.pt/prosocial

Jatir Schmitt – Psicóloga Clínica e Hipnoterapeuta

psic-equipa-jatirschmitt

 

Partilhar