Como deixar de procrastinar?

Na nossa última publicação, falamos do que é a procrastinação e quais as reais causas por detrás do ato de adiar tarefas. Recordamos que a procrastinação pode estar relacionada com questões internas como medo de falhar, ansiedade, baixa autoestima e até questões traumáticas, traduzindo-se em problemas de autocontrolo. Nesse sentido, as pessoas preferem o alívio a curto prazo, do que garantir os objetivos a longo prazo.

Se o problema é realizar a tarefa, é possível encontrar soluções!

É importante aprender novas estratégias para lidar de outra maneira com as tarefas que tem em mãos. Pode começar por reforçar o seu auto-controlo, definindo objetivos mais pequenos dentro dos objetivos maiores. Deixamos-lhe 6 pequenos passos para deixar de procrastinar:

  1. Definir – Torne claro na sua mente aquilo que pretende fazer e, quando fizer, faça com objetividade e clareza.
  2. Dividir em objetivos mais pequenos – Divida um grande objetivo em pequenas tarefas, mais fáceis de realizar.
  3. Determinar o tempo que vai precisar – Defina o tempo necessário para completar cada uma das tarefas e procure ser realista. Não vai conseguir correr a maratona daqui a uma semana se não treinar previamente.
  4. Priorizar – É importante que selecione as tarefas que devem ser feitas primeiro. Assim, deve começar pelas mais importantes ou por aquelas que implicam uma maior precedência.
  5. Começar a agir – Se tem uma tarefa a realizar execute-a já, antes que perca a vontade ou se distraia com algo.
  6. Diminuir a exigência – Pode falhar, mas o mais importante é como vai reagir. Pare, pense e reveja as suas ações e, se necessário, redefina prioridades.

 

Lembre-se que, independentemente da tarefa, existem sempre necessidades que precisam de atenção para que possa dar o seu melhor. Dormir a quantidade de horas necessárias, fazer exercício e ter uma alimentação saudável são pilares sobre os quais boa parte da sua saúde se baseia.

 

Se sente que está assoberbado por tarefas e existe alguma inatividade perante esse assunto, pode ser necessário recorrer a um profissional qualificado que o ajude a trabalhar as causas e eliminar os comportamentos procrastinadores. Dessa forma, poderá procurar novos rumos e priorizar a sua energia, evitando a vulnerabilidade ao stress e ansiedade.

 

A PSIC, através de intervenções específicas como hipnoterapia, terapias psicossensoriais e biofeedback, pode ajudá-lo a retirar proveito das suas capacidades e promover os seus recursos emocionais internos. Contacte-nos para uma consulta informativa gratuita.

Partilhar

Porque deixo tudo para a última hora?

Apesar de parecer que as pessoas que deixam tudo para a última hora são muito descontraídas, no seu interior pode residir muito drama. Quando essas pessoas são confrontadas com uma tarefa, tendem a adiar o seu começo ou, quando a iniciam, rapidamente a largam.

Por exemplo, senta-se para fazer um trabalho e decide que vai apenas espreitar o Facebook ou Instagram por cinco minutos. Porém, descobre que se passaram três horas e agora mais vale deixar o trabalho para outra altura. Os objetivos podem ser outros, como perder peso e ficar em forma, mas vê que lhe falta a roupa de desporto e por isso, apenas depois de a comprar vai poder começar a jornada.

Então, o que se passa?

Estes comentários internos ou “desculpas” são defesas utilizadas para desviar o pensamento de algo que o deixa desconfortável, uma espécie de angústia e inquietação internas. Têm como função fazê-lo sentir-se melhor quando confrontado com uma tarefa desagradável. A isto chama-se procrastinação.

De forma genérica, as pessoas que procrastinam têm dificuldade em gerir as próprias emoções. Não se trata de uma questão de preguiça ou de problemas na gestão de tempo, mas sim uma tentativa de evitar o mal-estar causado por essas situações.

Existem ainda motivos mais específicos ligados à procrastinação, sendo deles:

  • Ansiedade
  • Baixa autoestima
  • Medo de falhar

Pessoas com ansiedade pensam demasiado sobre as situações, levando a um acréscimo da sensação de mal-estar e tornando a procrastinação algo frequente. Por outro lado, isto apenas aumenta os níveis de ansiedade, visto que a pessoa pode continuar a pensar demasiado na tarefa e/ou situação, mesmo que esteja a fazer outra coisa que lhe dê prazer.

O mesmo se aplica ao medo de falhar e à baixa autoestima, onde a pessoa não vê em si competências para realizar a tarefa e acaba por abandoná-la para iniciar algo que gosta, perpetuando assim o ciclo vicioso da procrastinação.

Ao saber que a procrastinação pode estar relacionada com outras perturbações, é importante que procure ajuda de um profissional de saúde se perceber que existem outros sintomas para além do adiamento de tarefas. Entender as razões e como lidar com a procrastinação não só pode baixar os níveis de ansiedade como também aumentar a sua produtividade, satisfação pessoal e equilíbrio emocional.

A Clínica PSIC possui modelos de intervenção integrativos que visam ajudar a recuperar o seu equilíbrio emocional. Gostaria de obter mais informações acerca dos modelos de intervenção terapêutica? Marque a sua consulta informativa gratuita aqui. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Partilhar

5 Sugestões para facilitar a mudança

Todos nós em algum momento da nossa vida precisamos de fazer mudanças, mas quantos de nós conseguimos efetivamente ter a coragem e a resiliência necessárias para sair da nossa zona de conforto? A realidade é que a mudança é difícil, assustadora e requer esforço.

Se precisa de mudar algo na sua vida, saiba que a mudança começa em si mesmo e que é um processo que irá despoletar em si novas facetas, habilidades e emoções que terá de deixar para trás. Deixamos-lhe 5 sugestões para facilitar o processo de mudança:

1. DEIXE OS FILMES DE TERROR – irá descobrir em si uma capacidade extraordinária de realizar na sua mente os filmes mais aterradores. Sugestão: Mude o filme, analise a mudança desejada com todos os seus recursos e possíveis limitações e com tranquilidade, projete um novo filme possível de alcançar e com um final feliz.
2. PERCEBA QUE A PERFEIÇÃO É SÓ UMA ILUSÃO – irá constantemente esperar pelo momento perfeito para mudar, aquele momento onde irá ter todas as condições necessárias para poder avançar com segurança e determinação. A verdade é que o tempo vai passar e esse momento tão perfeito não vai aparecer, porque a perfeição é apenas uma ilusão. Sugestão: Esqueça a perfeição, pense na sua determinação, resiliência, coragem e ambição porque é delas que precisa para conseguir mudar. Lembre-se feito é melhor que perfeito!
3. PÁRE DE PROCURAR CULPADOS – irá começar a culpabilizar tudo e todos, nada nem ninguém irá escapar. Culpamos os outros, a família, os amigos, o chefe, o casamento, o país em que vivemos, nós próprios, etc… e tudo isto à velocidade da luz. Sugestão: Faça esta pergunta a si mesmo – “Para quê, adianta alguma coisa?”. Livre-se de todos esses culpados e avance.
4. ABANDONE O PAPEL DE VÍTIMA – irá constantemente queixar-se de tudo, como forma inconsciente de pedir a atenção, carinho e amor do outro através de uma representação vitimizada e distorcida da realidade. Sugestão: Escolha representar outra personagem, passe a representar um líder com toda a sua determinação e assertividade, será muito mais fácil para si alcançar a mudança.
5. ABANDONE O MEDO – irá ter medo, todos os seus medos irão aparecer: medo do fracasso, de não ser capaz, medo de desiludir os outros, etc… A verdade é que é natural ter medo pois ele é protetor, porém o seu excesso impede-nos de avançar e perceber o que está por detrás dele. Sugestão: Se o seu medo o impedir de avançar talvez seja o momento de procurar ajuda. É hora de agir e lutar por si!

A mudança é difícil, mas possível! Se desta vez quer mesmo mudar, só precisa de ser resiliente e enfrentar com toda a sua força, energia e motivação os próximos dias que virão. Saiba que na PSIC podemos ajuda-lo neste processo e juntos aumentaremos a probabilidade de vir a ser bem-sucedido na mudança que deseja alcançar!

Já agora, uma 6ª sugestão: não seja como o sapo fervido! Leia mais sobre este resistente à mudança aqui.

 

 

 

 

 

 

Jatir Schmitt- Psicóloga Clínica

Partilhar

Procrastinação & autossabotagem – uma dupla inseparável!

Esta dupla Procrastinação & Autossabotagem bloqueia o fluxo da vida. Impede-nos de seguir em frente e implica um interminável adiar dos nossos desejos e sonhos.

As pessoas que aqui chegam em busca de ajuda apresentam-se sobrecarregadas de culpa, autocensura, autoataque e desespero consigo próprias. Rotulam-se de preguiçosas e de não querer nada com a vida. Reclamam que por mais que tentem, são sempre vencidas. Sentem-se sem motivação, paralisadas e impotentes.

O que alimenta o funcionamento desta dupla Procrastinação & Autossabotagem? É necessário aprofundar e entender porque não consegue fazer o que planeou e tomar consciência dos bloqueios internos, que alimentam esta paralisação.

Na vida, momento a momento, fazemos o que sabemos e o que podemos para sobreviver. O acumular das experiências negativas porque passamos, é criado para manter a nossa integridade psíquica. Com o passar do tempo tornam-se parte de nós. Embora já não necessitemos delas, por já termos outros recursos, resgatamo-las cada vez com mais força. Saiba que temos forças inconscientes que nos protegem e nos defendem do sofrimento e tudo que passamos durante a vida.

Mas como combater esta notável dupla, cheia de boa intenção? Como fazer melhor? Como deixar a vida fluir em direção ao seu desejo?
1 – Em primeiro lugar precisamos de entender os padrões defensivos e os medos responsáveis por esta defesa de sobrevivência. Cada pessoa tem a sua própria maneira de responder aos congelamentos emocionais.
2 – O importante é começar! Fazer algo diferente do que vem fazendo. A mudança de estratégia estimula o corpo e a mente a realizar o que deseja. Passo a passo, amplie as suas iniciativas e crie novas possibilidades de quebra do vício de estagnar a própria vida. Só você pode quebrar a resistência e eliminar as desculpas para as suas frustrações, que surgem a cada desistência de si mesmo. O importante é cooperar para a sua vida fluir.
3 – Talvez tenha tentado isto e muito mais. Eu sei que sozinho é difícil vencer essa dupla – procrastinação e autossabotagem – uma estratégia eficaz para tirá-las do seu velho trono é pedir apoio. Foi o que fez a Luísa – leia aqui o seu testemunho

A PSIC, através de intervenções específicas de hipnoterapia, terapias psicossensoriais e biofeedback, pode ajudá-lo a vencer esta dupla e retirar todo proveito do fluir da vida. Contacte-nos para uma consulta informativa gratuita.

Jatir Schmitt- Psicóloga Clínica

Partilhar