(Re)aprender a respirar

Hoje refletimos sobre respiração e sobre a sua importância no controlo do stress e da ansiedade. Saiba mais sobre aprender ou reaprender a respirar.

Quantas vezes por dia pensa na sua respiração?

A respiração envolve a movimentação de ar através das vias respiratórias, abastecendo as células do corpo de oxigénio e eliminando o dióxido de carbono. Mas a respiração é muito mais do que isso! A forma como respira pode definir o seu estado emocional, da mesma forma que o seu estado emocional tem influência na sua respiração.

Já reparou que quando está relaxado o seu padrão respiratório é suave e lento? E quando está sob emoções fortes a sua respiração é forte e intensa?

Isto acontece porque as suas emoções têm uma ação direta sobre o ritmo e profundidade da respiração. Um padrão de respiração funcional é profundo e libertador, e envolve todo o corpo, enquanto o padrão respiratório disfuncional está ligado a uma série de sintomas, tais como:

  • Irritabilidade
  • Stress
  • Ansiedade
  • Fadiga
  • Depressão

Já se apercebeu que, quando está sob estes sintomas, a sua tensão muscular aumenta?

A tensão muscular faz com que a sua respiração perca profundidade, o que o leva a inspirar e a prender a respiração quando está apreensivo ou com medo. Em situações indutoras de stress, há um aumento da intensidade da respiração o que o pode deixá-lo mais ofegante, aumentando também a sua frequência cardíaca. Atuar de forma eficaz na respiração ofegante, com o objetivo de diminuir gradualmente o ritmo da inspiração e expiração, tem efeitos diretos no seu ritmo cardíaco e provoca reações metabólicas, que tendem a desconstruir rapidamente os sintomas de stress e ansiedade.

Alguma vez prestou atenção à respiração de um bebé a dormir?

Na verdade, o ser humano nasce a saber respirar da forma correta e infelizmente, vai perdendo essa capacidade por uma série de fatores culturais. Quantas vezes já olhou para o espelho e encolheu a barriga para potencializar a sua imagem corporal? Sabia que o hábito de manter a barriga retraída e rígida pode estar a impedi-lo de respirar de forma correta?

Faça um teste: experimente sentar-se de forma confortável e colocar uma mão no tórax e outra na barriga, respire normalmente. Qual a mão que se movimentou mais?

Se a mão que se movimentou mais foi a do tórax, saiba que está a respirar de forma incorreta. Encher os pulmões de ar, expandindo o tórax é mais ineficaz do que promover a dilatação da zona abdominal. De uma forma genérica, quando respira com a parte alta dos pulmões está apenas a aproveitar 30% da sua capacidade volumétrica, exigindo ciclos mais rápidos de inspiração e expiração para garantir o fluxo necessário de oxigénio.

Então, tente promover a respiração abdominal, isso pode proporcionar-lhe a diminuição significativa do número de respirações por minuto, refletindo-se diretamente no seu batimento cardíaco. O organismo volta a entrar em equilíbrio e os sintomas de ansiedade tendem a desaparecer.

Lembre-se, a respiração é a maneira mais rápida e direta que tem para “comunicar” com o seu corpo e pode ser um reflexo da sua saúde emocional. A sua saúde emocional merece a sua atenção, por isso, comece por procurar ajuda especializada. A Clínica PSIC possui modelos de intervenção integrativos que visam ajudá-lo a recuperar o seu reequilíbrio emocional – Detox Emocional. Gostaria de obter mais informações acerca dos modelos de intervenção terapêutica? Marque a sua consulta informativa gratuita aqui. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

“Respiração é vida, e se respira bem, irá viver por muito tempo na terra.” — Provérbio sânscrito

Partilhar

Teste: está a cometer um crime contra a sua saúde emocional?

Cometer um crime é para si impensável? É alguém com valores e princípios e que nunca faria nada para se prejudicar a si próprio ou a terceiros? Pense um pouco sobre o seu dia-a-dia e pergunte-se:

  • Alimento-me de forma equilibrada e saudável?
  • Crio condições para ter um sono tranquilo e reparador?
  • Pratico exercício físico regularmente?
  • Cuido da minha espiritualidade?
  • Para além do trabalho, tenho tempo para a minha família e amigos?
  • Reservo parte do meu tempo para fazer algo que gosto?

As perguntas podiam ser infinitas. Se respondeu “não” a, pelo menos, uma destas questões, saiba que está a cometer um crime. Ao descuidar-se consigo e com a sua saúde comete um crime contra a sua saúde emocional e está a comprometer o seu único e verdadeiro bem – a sua vida.

Não acredita? Reveja que código penal considera crime e verifique como está a tratar a sua saúde emocional*:

  • Causa-efeito – o mal-estar que resulta do adoecer, apenas é atribuível a quem o causou. Por ação ou omissão, poderá estar a prejudicar a sua saúde emocional.
  • Omissão – quando ignora a possibilidade de agir e prevenir o comprometimento da saúde, estando consciente dos riscos que o seu comportamento acarreta à sua saúde emocional.
  • Tipo de crime:
  • Doloso – se age de forma livre e espontânea, sabe que é errado e assume o risco. Por exemplo: “Sei que fumar faz mal à saúde. Fumo porque quero!”;
  • Culposo – contribui para o adoecer por imprudência (por exemplo, passar o sinal vermelho); negligência (por exemplo, desleixar-se com os deveres para o seu bem-estar) ou imperícia (por exemplo, automedicar-se sem capacitação profissional).
  • Omissão de socorro – ignora os avisos que o seu corpo lhe dá e adia sempre as questões relacionadas com o cuidado da sua saúde emocional, deixando de cuidar de si e das pessoas à sua volta. É importante lembrar que os sintomas são alertas de que algo está a correr mal.
  • Infração de medida sanitária prevista – transgride leis da natureza e da sociedade que servem para impedir a propagação de doenças que se podem evitar (ex: falta de vacinação e higiene, alimentação inadequada, falta de exercício físico, falta de cuidados primários, negligência mental e emocional).
  • Exercício ilegal nos cuidados da saúde – realiza um autodiagnóstico e faz automedicação, evitando procurar ajuda específica.
    Falsidade ideológica – esconde e nega, tanto para si, como para o outro, o que realmente sente, o seu sofrimento e necessidade de ajuda especializada.
  • Penalidade – todo o crime contra a sua saúde tem consequências perante a sua qualidade de vida. Neste caso a penalidade que falamos também é uma prisão, mas uma prisão sem grades! A dor, o sofrimento, o mal-estar… é o colapso do maior bem, a sanidade! Zelar pela saúde emocional é ter respeito consigo mesmo e pela sua vida.

Se esta analogia evidenciou a sua negligência perante a saúde e considera difícil agir corretamente em benefício próprio e dos que o rodeiam, deixe de se prejudicar e procure ajuda.

A Clínica PSIC utiliza abordagens integrativas e sistémicas na área da Psicologia Clínica, para que possa refletir sobre o seu modo de vida e equilibrar as diferentes áreas implícitas na saúde emocional. Atua também com processos preventivos no sentido de desenvolvimento pessoal e autoconhecimento. Para saber mais informações, usufrua da nossa consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância.

*Adaptação do livro “Promoção da Qualidade de Vida” e homenagem ao Médico e Professor Dr. Joaquim Monte

Partilhar

Os 8 erros mais comuns que interferem na saúde emocional

Uma das áreas para as quais somos frequentemente solicitados é a saúde emocional. E o que é isso da saúde emocional? Para algumas pessoas caracteriza-se pelo equilíbrio entre o corpo, a mente e as emoções. No entanto, a saúde emocional vai muito além disso! Corresponde a várias dimensões da saúde e do nosso ser.

A saúde emocional exige uma atenção e ações conscientes com genuína capacidade de influenciar a sua saúde e, por consequência, gerar o equilíbrio emocional. Essa consciência surge através de amor para consigo mesmo, autocuidado, carinho e afeto genuínos em tudo o que faz e envolve vários fatores como a nutrição, o seu descanso, o ambiente envolvente, as suas relações, a realização de exercício, as suas ocupações e também a sua mente e desenvolvimento pessoal e espiritualidade. O equilíbrio emocional significa estar de corpo e alma no mesmo lugar e tempo – no aqui e agora, em paz e em sintonia com aquilo que decidir.

A capacidade de estar em equilíbrio é uma arte que para muitos é natural, no entanto para outros pode ser mais difícil. Nesses casos, é necessário fazer uso de algumas ferramentas para desbloquear barreiras e objeções internas, abrindo o caminho para o equilíbrio natural, sem quaisquer obstáculos.

Estes são os 8 erros mais comuns das pessoas que não estão em equilíbrio e que contribuem para a redução da saúde emocional:

  1. Esquecem de ouvir, sentir, questionar e compreender os sinais de alerta do próprio corpo, ou seja, de estarem atentos às suas reações e agirem imediatamente para entendê-las e auto socorrer-se.
  2. Aceitam os sintomas de forma passiva, dando atenção somente quando o corpo sucumbe, sem perceber todas as facetas que envolvem o adoecer.
  3. Deixam de planear a manutenção do grande presente que recebem ao nascer: os recursos naturais para a saúde plena.
  4. Omitem dos profissionais de saúde informações relevantes sobre o seu estado emocional.
  5. Desvalorizam a própria motivação para dar o seu melhor, sem se darem conta de que a perderam.
  6. Desempenham um papel passivo no cuidado da sua saúde, deixando-se adoecer.
  7. Ignoram os sentimentos e opiniões das pessoas envolvidas. Se conseguirem envolver as outras pessoas no movimento para a saúde, dialogando e partilhando o que sentem, tornam muito mais fácil, natural e produtiva a limpeza das emoções tóxicas.
  8. Negligenciam a atitude de gratidão, principalmente quanto aos recursos recebidos e à vida saudável na manutenção do equilíbrio emocional.

A Clínica PSIC utiliza abordagens convencionais na área de Psicologia Clínica, integrando abordagens não convencionais como coadjuvantes para auxiliar a eliminação e/ou superação dos sintomas psicoemocionais e comportamentais. Atua também com processos preventivos no sentido de desenvolvimento pessoal e autoconhecimento. Se procura encontrar o seu equilíbrio emocional ou até mesmo apostar no seu desenvolvimento pessoal, marque uma consulta informativa gratuita e saiba como podemos ajudar, nomeadamente através do nosso programa intensivo Detox Emocional. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância.

Partilhar