Blog

Como ouvir o coração?

O que é o coração?

Do ponto de vista mecânico este é um órgão que nos acompanha desde o início da vida, sem folgas e cumprindo o seu papel dia após dia. Em momentos específicos, notamos a sua presença: um susto, uma surpresa, um exercício mais forte… e sentimos que os seus batimentos aceleram e descompassam.  Tirando estas situações, a verdade é que o coração passa quase despercebido, durante grande parte do tempo. No entanto, este é um dos órgãos mais importantes do nosso metabolismo.

 

Qual é a inteligência do coração?

Embora o coração seja maioritariamente apresentado como um super-músculo, também tem outra dimensão mais profunda que encontramos em expressões populares como “ouve o teu coração” ou “segue o teu coração”. Estas expressões ecoam em todos nós, independentemente da raça, educação, cultura ou língua.

Pode soar estranho, mas sim, o coração é inteligente e, através dele, podemos aprender a gerir conscientemente as nossas emoções. O coração faz muito mais do que apenas bombear sangue por todo o corpo. Uma equipa de cientistas do Institute of HeartMath, lançou luz sobre a ciência do coração. Estes investigadores estudam a relação íntima entre o cérebro e o coração, como se comunicam e como isso afeta as nossas emoções, reações fisiológicas e autorregulação.

 

Qual o verdadeiro potencial e inteligência do coração?

Já em 1991, o Dr. J. Andrew Armour estudou aprofundadamente o órgão central do corpo, tendo cunhado os termos “cérebro coração” e “pequeno cérebro”. Também nas últimas duas décadas, Doc Childre, H. Martin e D. Beech, dedicaram-se ao estudo do coração e descobriram que este tem um sistema nervoso independente. O coração é composto por mais de 40.000 células nervosas e envia sinais para o cérebro, através do nervo vago, da corrente sanguínea e do seu campo magnético, que basicamente se expande no ambiente, muda de acordo com campo de pensamento e as emoções e tem uma interferência recíproca e dinâmica entre as várias dimensões do sistema.

Através dos olhos do coração, é possível entender que as emoções são mais do que reações e que podemos ter a capacidade de escolher o nosso estado emocional. Entender a verdadeira inteligência do coração, mudará a forma como pensamos, sentimos e vemos o mundo.

 

Como ouvir o coração?

As emoções negativas e o stress criam um padrão caótico de variabilidade da frequência cardíaca e esses ritmos cardíacos incoerentes, criados pelas respostas emocionais aos acontecimentos, desligam algumas das capacidades de pensamento, podendo obscurecer o julgamento, a clareza mental e capacidade para discernir e fazer boas escolhas. Estes ritmos incoerentes enviam estímulos negativos que causam confusão mental.

 

Por outro lado, sustentar emoções regenerativas cria um padrão suave e ordenado. Assim, pensar e sentir emoções sinceras e baseadas no coração, como o amor, apreço e compaixão, ajudam a que o ritmo cardíaco padrão se torne naturalmente mais coerente. São estes ritmos cardíacos coerentes que facilitam as funções cerebrais superiores e, desta forma, o coração avisa o cérebro que está tudo bem o que, por sua vez, desliga o sistema de defesa.

Como ativar as qualidades do coração?

Uma boa prática é a coerência cardíaca, realizada através de técnicas de respiração e atenção focadas no coração, que ativa as suas “qualidades” como o cuidado, a compaixão e a gratidão. Desta forma, a neuroquímica limpa o organismo e aumenta a saúde como um todo. Para que a mente, as emoções e o corpo trabalhem de forma eficaz, é necessário que o coração e o cérebro estejam sintonizados e em harmonia um com o outro.

É aconselhável praticar a coerência cardíaca várias vezes por dia, e um bom ponto de partida é começar pelo seguinte exercício: “COERÊNCIACARDIACA.GR.”. Este exercício pode ser útil para reestruturar o equilíbrio quando nos encontramos sob stress ou sobrecarregados. Também podemos usar este tipo de técnica durante transições, como antes de reuniões, antes de ir para o trabalho, antes de interações importantes (telefonemas, e-mails, etc.) ou quando for necessário falar com alguém sobre um problema, podendo ser um aliado para prevenir o stress e acalmar o coração.

 

Aproveite e reveja também outras dicas alusivas a este tema:

Como evitar que as emoções façam mal ao coração

6 passos para praticar a compaixão

Como praticar a gratidão

Como controlar as suas emoções?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fechar