Como superar a baixa autoestima

A baixa autoestima é um problema mais comum do que possa imaginar e está ligado a opiniões negativas que tem de si próprio e em crenças sobre a falta de valor enquanto pessoa, sendo um aspeto que influencia o seu bem-estar psicológico.

Quando se tem uma baixa autoestima, existe a tendência de inibir a relação com o mundo e essa inibição pode fazer com que deixe de retirar prazer das experiências da vida. É possível identificar a baixa autoestima através de vários sinais que causam desconforto e que podem levar ao desenvolvimento de diversos problemas emocionais, além de estar presente sob a forma de sintoma, como na depressão.

Talvez já tenha aceitado a ideia de que muitos dos seus comportamentos fazem parte da sua personalidade quando, na verdade, podem ser sintomas de que a sua autoestima necessita de atenção. Nesse sentido, é importante entender melhor como se manifesta e quais os sinais da baixa autoestima:

  • Sentimentos de inferioridade: as experiências negativas da infância, tais como intimidação, bullying, relacionamentos familiares difíceis ou dificuldades na escola, podem ser particularmente prejudiciais para a autoestima e podem-se manifestar na idade adulta sob a forma de sentimento de inferioridade.
  • Necessidade de aprovação: quanto maior o desejo de ser reconhecido pelo outro, mais se procura agradar e isso faz com deixe de ser você mesmo, tornando-se no que os outros gostariam que fosse, isto é, uma cópia falsificada de si.
  • Sentimento de culpa: a baixa autoestima pode ser a causa de sentir culpas que não são suas e julgar-se incapaz de merecer a afetividade do outro.
    Comparar-se negativamente com outras pessoas: ao longo da vida, pode desenvolver pensamentos com padrões que reforçam a baixa autoestima, como comparar-se constantemente com os outros ou desenvolver padrões elevados para si mesmo, que pode ter dificuldade em atingir.
  • Relacionamentos superficiais: os relacionamentos passados podem ter alimentado a baixa autoestima, desenvolvendo a crença de que é incapaz de satisfazer as expectativas dos outros. Nesse sentido, pode levar a que se sinta com pouco valor e a ter dificuldade na entrega afetiva.
  • Voz interior muito crítica ou cobradora: a autocrítica está fortemente associada a um sentimento primordial de ser insuficiente. Frequentemente encontra-se relacionado com expectativas extremamente altas dos pais, professores rigidamente exigentes, treinadores punitivos e a própria religião ou cultura. Isto gera atitudes que visam evitar a vergonha aos olhos dos outros e de si mesmo, deixando de lado aquilo que o caracteriza.

Ao observar estes sintomas, é notório como uma baixa autoestima pode afetar de forma negativa a relação consigo próprio e as relações afetivas, sociais e até profissionais. A boa notícia é que totalmente possível desenvolver uma autoestima plena e saudável se começar por procurar e entender as feridas emocionais que estiveram na origem da sua baixa autoestima e trabalhar em prol do autoconhecimento.

Antes de começar, há um trabalho preparatório dedicado à formação do amor-próprio ou cuidado consigo mesmo que se desenvolve em três passos:

  • Tornar-se consciente das próprias emoções e necessidades: diminuir o volume da voz critica e aumentar o volume do coração.
  • Relacionar-se respeitosamente consigo mesmo: olhar para si de forma respeitosa e amar aquilo que realmente é, com todas as virtudes e defeitos.
  • Cuidar de si: investir no autoconhecimento e cuidar das suas emoções.

Estes são os princípios básicos para começar a lidar de forma positiva com a sua autoestima, contornando a crítica interna e tornando-se consciente das suas qualidades. Lembre-se que a autoestima é como uma flor que precisa de ser regada. Depois de começar a fornecer a água que precisa, esta cresce e espalha-se. Comece a alimentar esse cuidado próprio e perceba como tudo isso pode facilitar o seu dia-a-dia e as suas relações.

Se está disposto a mudar e encontrar o seu amor-próprio, a Clínica PSIC pode ajudá-lo. A PSIC trabalha para reconstituir a sua autoestima e dissipar as emoções negativas que podem estar a afetá-lo em várias áreas da sua vida, ajudando-o a reencontrar o seu equilíbrio emocional. Para mais informações, contacte-nos para uma consulta informativa grátis. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

0 0 vote
Article Rating
Partilhar
Subscrever
Notificação de
guest

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments