Depressão e Fadiga Crónica

A depressão pode ser definida como um processo que se caracteriza pelo humor depressivo e/ou irritável (associado à ansiedade e à angústia), redução da energia (desânimo, cansaço constante), incapacidade parcial ou total de sentir alegria e/ou prazer, desinteresse, lentificação, apatia ou agitação psicomotora, dificuldade de concentração e pensamentos negativos, com perda da capacidade de planear o futuro e com alterações da perceção da realidade.

A pessoa com depressão sente dificuldades em desenvolver as suas atividades de vida diárias, bem como em manter as suas rotinas. O estado de depressão pode ter várias implicações: isolamento social, exclusão ou rejeição; desânimo, falta de energia, dificuldades nos inter-relacionamentos pessoais e no cumprimento dos seus afazeres. É muito comum, sentirem que estão perto da exaustão emocional que é um dos principais sintomas da fadiga crónica. Geralmente, as pessoas que sentem fadiga experienciam uma diminuição da capacidade física e mental quer a nível pessoal quer a nível profissional. Os sintomas mais comuns deste problema são nomeadamente falhas de memória, ruminações obsessivas (pensamentos repetitivos), problemas de concentração, dores musculares, perturbação do sono, dor de cabeça/enxaquecas e cansaço extremo prolongado.

Estas situações podem ser despoletadas por inúmeras causas, advindas da forma como nos comportamos e agimos no dia-a-dia. Em geral, a fadiga pode ser causada devido a três fatores: estilos de vida; condições de saúde e problemas psicológicos, nomeadamente a depressão.

A fadiga crónica pode também ser provocada pelas perturbações de sono. É recorrente nestes casos, as pessoas sentirem-se muito cansadas mentalmente e fisicamente, durante o dia, principalmente se não descansarem as horas suficientes durante a noite. Pelo que, é muito importante tentar respeitar o ciclo circadiano, mantendo sempre os mesmos horários de deitar e de acordar, dormindo pelo menos 8 horas seguidas. Porém, nas situações em que as pessoas vivenciam fases de maior angústia e tristeza, tendem a ter mais dificuldades em adormecer, ou então, acordam sistematicamente ao longo da noite. Nestes casos, é essencial que haja consciência de que a sua saúde pode estar em risco, pois quando ocorrem problemas de sono associados à fadiga e cansaço extremo, estes podem ser originados por uma possível depressão. Em consequência, dificilmente, as pessoas sentem disposição para gerir as suas emoções e as tarefas diárias.

Com todos estes problemas, é difícil controlar as emoções e maioritariamente, as pessoas são incapazes de encontrar soluções para encara-los e supera-los. Por outro lado, o apoio afetivo de outros, pode ser inexistente, o que contribui para o aumentar do desespero destas pessoas. Sentimentos como inutilidade, isolamento social, rejeição/abandono, autodepreciação, são recorrentes de tal forma que a pessoa deixa de ter vontade de viver, e assim podem surgir os pensamentos de ideação suicida.

Independentemente do tempo e da gravidade da ocorrência destes sintomas é fundamental que priorize a sua própria vida. Perceber que a saúde emocional também deve ser cuidada é um passo, e um compromisso que deve ter consigo mesmo. Por esta razão, permita-se ser ajudado para que consiga ter saúde emocional e qualidade de vida.

O Detox Emocional é um programa intensivo que o ajuda na limpeza da carga emocional e restaura os recursos emocionais internos, promovendo melhorias diretas no seu ânimo e no seu bem-estar. Para além disso, também oferece ferramentas de autoaplicação que permite consolidar, ao longo do tempo, as mudanças alcançadas.

Partilhar