“Tinha crises de ciúmes e raiva”

“Ao longo da minha vida, sempre tive muitos problemas para gerir as minhas emoções, sempre senti necessidade de estar em absoluto controlo de todas as situações e relações que fui tendo ao longo da vida. Quando as coisas não corriam como eu queria, perdia o controlo e tinha crises muito graves de raiva e possessividade, crises essas que sempre trouxeram grande instabilidade a nível das minhas relações pessoais. Com o passar dos anos, esses sentimentos negativos foram piorando, trazendo assim o final e rompimento das relações amorosas. Na relação que tenho atualmente, as coisas não foram melhores, as crises de raiva, ciúmes, controlo e possessividade continuaram trazendo muita infelicidade ao meu relacionamento. Eu estava a magoar profundamente a pessoa que amo. Assim, decidi procurar ajuda na esperança de finalmente poder levar uma vida emocional mais saudável e equilibrada. Quando cheguei aqui à Psic, vinha cheia de dúvidas: “e se não der certo”, era sempre essa a minha maior dúvida. Mesmo em dúvida, decidi continuar em frente. Com a ajuda da doutora procurámos os motivos de tanta instabilidade, fui-me apercebendo que eu realmente estava descontrolada e que durante anos a fio não cuidei de mim mesma, deixei-me ao abandono, tudo era desculpa para me esquecer de mim. Nas primeiras duas semanas de tratamento, comecei a olhar para mim de novo, a olhar para dentro de mim, a aperceber-me do quanto preciso de atenção e carinho, que me neguei carinho a mim mesma durante anos a fio. Eu não estava a contar com isso, eu não sabia que para começar a resolver as minhas questões com o ciúme, controlo, raiva, eu precisava de olhar para mim de novo e amar-me novamente. Com o tratamento e a ajuda que tive nas consultas, para além de me sentir mais calma e o meu relacionamento estar muito melhor, mais completo, eu olho-me com mais serenidade, com mais carinho. Apercebo-me facilmente de mim mesma, de quando me sinto bem ou de quando me sinto mal. Graças ao tratamento já não tenho discussões de horas a fio, aquelas discussões que arrasavam com a relação que tenho. Consigo lidar mais calmamente com os sentimentos negativos e os pensamentos negativos também, o que me ajuda a ter mais calma e não ter necessidade de explodir com raiva. Para quem está a pensar procurar ajuda, não vou mentir, o caminho é longo e tem dias em que só apetece fugir, mas à medida que nos comprometemos connosco próprios e decidimos avançar por este caminho, vamos vendo o quão recompensador é para nós e para os outros, sentirmo-nos felizes com nós mesmos. Sem sentimentos de culpa, de raiva, de controlo, de ciúmes, sem aqueles pensamentos negativos que só servem para nos deixar infelizes. Procurar esta ajuda é mesmo a melhor forma de encontrarmos a paz que tanto precisamos.”

S.P.