Será preocupação ou ansiedade?

Existe a tendência de utilizar os termos preocupação e ansiedade como sinónimos, quando na verdade se tratam de termos distintos e de estados psicológicos diferentes. Embora ambos estejam associados a um estado de inquietação, a forma como o experienciam é distinta.

Então, é pertinente saber distingui-los e compreender como se manifestam e associam. Isto pode facilitar uma atitude proativa aquando de sintomas mais intensos, como os de ansiedade, ao mesmo tempo que o pode preparar para lidar eficazmente com o estado de preocupação.

Quais as 4 principais diferenças entre ansiedade e preocupação?

  • A preocupação reside na mente, a ansiedade no corpo: as preocupações, estão ligadas a pensamentos repetitivos e intensos sobre uma situação com potencial negativo, enquanto que a ansiedade produz efeitos sobre o corpo que causam desconforto e angústia.
  • A preocupação é um sistema de alarme claro e a ansiedade é um falso alarme: a preocupação atua como um sistema de alarme mental interno, que o leva a lidar com as situações potencialmente negativas. Já a ansiedade, pode ser suscitada por situações sem potencial negativo, que o seu cérebro identificou como ameaça.
  • A preocupação promove a resolução dos problemas, ao contrário da ansiedade: a preocupação leva-o a pensar em soluções eficazes para lidar com determinada situação, que podem ter um ou mais resultados negativos. Já a ansiedade, tende a criar um conjunto de sintomas físicos e psicológicos que prejudicam a aquisição de soluções produtivas.
  • A preocupação gera angústia emocional suave e a ansiedade uma angústia emocional severa: a ansiedade é algo mais dominador e que o leva a um estado psicológico mais perturbador do que a preocupação.

A preocupação, embora desagradável é, na verdade, algo normal que age como um propulsor do problema que precisa de ser tratado, preparando-o para lidar com ele. Porém, pode tornar-se algo negativo quando surge desnecessariamente e se perpetua num longo período de tempo. Quando é excessiva, a preocupação pode paralisar e resultar em perturbações como a ansiedade, ou até mesmo fobias.

Como lidar eficazmente com a preocupação? Deve começar por:

  • Definir o problema – é impossível resolver todos os problemas ao mesmo tempo. Procure abordá-los um a um por grau de complexidade. Isto significa que tem de colocar algumas preocupações em espera.
  • Pensar em soluções – muitas vezes pode estar relutante a lidar com os seus problemas, pelo que deve pensar em várias formas de os resolver. Quanto mais escolhas tiver, mais hipótese tem de selecionar uma forma de resolver o problema que se ajuste a si.
  • Pensar nos prós e nos contras das soluções – colocar as coisas no papel e elaborar uma lista das opções, categorizando quais os prós e contras de cada um, vai ajudá-lo a tomar uma decisão ajustada e mais rapidamente.
  • Implementar a estratégia – pôr o plano em ação significa agir e seguir com a decisão que tomou. Transforme a sua preocupação em ação assim que possível.

Como lidar eficazmente com a ansiedade?
Se as suas preocupações assumem proporções maiores do que as descritas neste texto, pode estar a passar por algo mais profundo como ansiedade. Qualquer situação ou sintoma que fuja do seu controlo merece atenção, pelo que, é importante procurar ajuda de um profissional habilitado.

*Fonte: Frank Tallis – “Como travar as preocupações e reduzir a ansiedade”

Saiba que a Clínica PSIC possui um programa de intervenção próprio, com estratégias terapêuticas eficazes na gestão da preocupação e regulação da ansiedade. Este tem por base a hipnose clínica, técnicas de respiração e intervenções psicossensoriais, que promovem a neuro-modulação dos estados emocionais e ajudam na reinterpretação dos eventos. Para saber mais sobre esta intervenção marque a sua consulta informativa gratuita aqui. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Leia também:
A diferença entre Ansiedade e Pânico
http://bit.ly/2XTZBCE

Partilhar