8 hábitos para deixar de sentir ciúmes

Se é uma pessoa que deseja ter uma relação de amor construída com base na confiança e equilíbrio e quer viver com tranquilidade, respeitando a privacidade e espaço do seu parceiro, então quer ter um amor saudável.
Por vezes, apesar de reconhecermos o que é um amor saudável e os seus benefícios, temos comportamentos que prejudicam a nossa relação e justificamos a nossa atitude com o ciúme.

Para a pessoa que se considera ciumenta, os comportamentos que tem são vistos como forma de amor pelo outro. No entanto, para o parceiro o mesmo comportamento é considerado como desconfiança, insegurança, controlo e chega mesmo a ser um massacre. Muitas relações acabam por ficar desgastadas devido a este padrão e terminam de formas destrutivas.

Se quer ter um amor saudável, mas sente dificuldades em se libertar do ciúme ou se, pelo contrário, é uma vítima do ciúme do seu parceiro, conheça os 8 hábitos para eliminar o ciúme*:

  • Antes de amar alguém, ame-se a si mesmo – é imprescindível aprender a gostar de si, a cuidar-se e a promover o seu bem-estar. Sem se comprometer consigo, é difícil comprometer-se com o outro.
  • Seja transparente – fale dos seus sentimentos e diga aquilo que realmente pensa e o que incomoda. Para a pessoa que está ao seu lado, é impossível saber aquilo que vai na sua cabeça.
  • Partilhe as suas ideias, sem as impor – é importante dar o seu ponto de vista e aceitar que o do seu parceiro pode ser diferente. Exponha as suas ideias e posições de forma paciente.
  • Preocupe-se verdadeiramente com o bem-estar do outro – preste atenção aos detalhes, ao que faz o outro sorrir. Um simples gesto todos os dias proporciona maior felicidade do que uma prenda cara. Elogie, admire, abrace, conforte.
  • Recicle o sentimento de culpa e a autoexigência – é um ser humano e como tal, faz parte errar. Para além de saber perdoar o outro, perdoe-se e seja o seu melhor amigo.
  • Fale consigo mesmo – às vezes, é necessário parar e fazer uma introspeção do que está a acontecer e dos seus padrões habituais: reflita e interiorize o que precisa mudar.
  • Promova o diálogo – mais do que conversar com o parceiro, apenda a ouvir, a questionar e tente conhecer ao máximo a pessoa que está a seu lado.
  • Pare de tentar mudar o outro – Relativize as divergências e aceite o seu parceiro como ele é.

O ciúme aprisiona e destrói. Esconde insegurança e falta de amor próprio. Reconhecer que adota essa postura é o primeiro passo para alterar o padrão.

Sente que é difícil mudar? Podemos ajudá-lo. Na clínica PSIC aliamos a psicoterapia, hipnoterapia e terapia psicossensorial de uma forma sistémica e integrada para ajudar a compreender a sua história e as suas necessidades emocionais, promovendo o seu bem-estar e o equilíbrio da sua relação. Disponibilizamos uma consulta informativa gratuita, para lhe apresentar a metodologia terapêutica. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Adaptado do livro “Ciúme – o medo do abandono provoca a perda” de Augusto Cury

Partilhar