É hora de abandonar o pijama!

Com a necessidade de se manter em quarentena,a sua casa é mais do que apenas um local de descanso, é também o seu escritório e muitos começaram a passar o dia de pijama.Neste momento onde começam as preparações para voltar a esta nova realidade, onde muita coisa mudou, aspetos como tirar o pijama, vestir-se e comer em horários regulares ganham ainda mais importância.

Descubra como e porque é que deve começar a preparar a sua rotina para voltar a esta nova realidade pós-confinamento, começando por abandonar o seu pijama:

  • Crie interrupções no modo de descanso: Vestir-se dá sinais ao seu sistema de que vai assumir outro papel. Este passo ajuda a manter manter o foco em cada atividade, mesmo sem mudar de ambiente.
  • Deixe o pijama para a hora de dormir: Assim,sinaliza ao corpo que chegou a hora de descansar.
  • Gere incentivos: Quando está de pijama tende a aninhar-se e retrair-se. Ao vestir-se para o dia, está a gerar um auto incentivo que o motiva a agir.
  • Mantenha-se ativo: As emoções propagam-se no isolamento: quando abusa do pijama o seu sistema interpreta que, ou está cansado ou está doente, e as emoções negativas falam mais alto. É importante dar sinais ao corpo de que está saudável e em atividade.
  • Mantenha-se saudável: Usar um pijama durante muito tempo vai fazer com que se sinta mal, pois a roupa capta as impurezas do ar e durante a noite, o corpo absorve o que está no pijama e compromete a qualidade do descanso.
  • Troque a roupa da alma: Após estar pronto para dormir, faça exercícios para a limpeza dos desconfortos emocionais provenientes da situação atual.

Esta preparação para reiniciar representa mais do que um regresso à rotina, simboliza também um modo de limpeza da crispação causada pela quarentena.

Neste novo recomeço pode sentir-se mais em baixo, com falta de energia e em confusão sem saber por onde começar. Na PSIC, intervimos para reativar os recursos internos e reduzir o desconforto emocional. Fornecemos recursos de auto aplicação para gerir as dificuldades atuais e lidar com as possíveis adversidades deste novo momento.

 

Consulte o nosso programa gratuito SOS Emoções ou entre em contacto connosco para uma consulta informativa gratuita. Neste momento, as nossas consultas voltam a ser realizadas nas duas modalidades: presenciais e online.

 

Partilhar

Reabertura Clínica | Covid 19

REABERTURA DA CLÍNICA APÓS ESTADO DE EMERGÊNCIA

Prevenção, Proteção e Promoção

Informamos os nossos clientes que iremos reabrir em breve e que estamos a tomar medidas para que isso aconteça em segurança. Lembramos que este é um momento de recuperação da normalidade, contudo devemos agir com cautela para evitar regressões e manter a segurança para todos. Nesse sentido, seguimos as recomendações da Direção Geral da Saúde e adotamos um conjunto de medidas de prevenção importantes e que devem ser respeitadas:

NOVAS NORMAS DA CLÍNICA

ESPAÇO

  • Todas as salas vão ser devidamente desinfetadas e arejadas entre consultas – vamos realizar rotatividade de salas e, quando não for possível, vamos alargar o espaçamento entre as sessões.
  • O espaço encontra-se equipado com dispensadores de álcool gel para desinfeção regular.
  • Objetos utilizados por mais que uma pessoa (sofá, máquina de água, portas, impressora, etc.) serão desinfetados após cada utilização.
  • A circulação do ar será feita com regularidade (abrindo portas e janelas) e a utilização de equipamento de ar condicionado vai ser evitada.
  • No balcão da receção iremos instalar uma proteção em acrílico de forma a proteger os colaboradores e clientes

CLIENTES

  • Por favor, respeite e mantenha a distância de segurança.
  • É obrigatório a utilização de máscara.
  • Cada cliente deve desinfetar as mãos à entrada do estabelecimento, mesmo que tenha luvas próprias (já podem ter tocado com as luvas em outros locais infetados).
  • Deve chegar à clínica no horário exato da sessão (nem antes, nem depois).
  • Não traga acompanhantes.
  • Neste momento evitamos os cumprimentos para cuidar de si.

EQUIPA

  • É obrigatória a utilização de máscara e viseira

Previna-se. Com a colaboração de todos será mais fácil

Partilhar

COVID-19 – Como a PSIC o pode ajudar

A chegada do COVID-19 a Portugal teve impacto na maioria dos portugueses. Da preocupação moderada com o vírus, passou-se para a implementação de uma série de medidas de proteção e prevenção que incluem o isolamento social. Toda esta nova situação mostrou que, para além de dar assistência médica às pessoas infetadas, também se tornou importante lidar com o sofrimento e reações emocionais desconfortáveis de todas as pessoas, infetadas ou não.

Neste momento particularmente difícil, pode começar a apresentar sinais de instabilidade, ansiedade, medo, preocupação, entre outras. Para quem já tinha um quadro depressivo ou ansioso diagnosticado pode ser ainda mais desafiante lidar com todas as emoções que podem surgir. Em ambos os casos, e sempre que reconheça que o seu estado emocional o impede de realizar as suas atividades do dia-a-dia, é importante pedir ou manter a ajuda especializada.

Nesse sentido, entre várias outras vertentes, o apoio psicológico é importante ao providenciar:

  • suporte emocional;
  • estratégias para lidar com o isolamento, crise e mudança;
  • promoção de uma perceção positiva;
  • desenvolvimento de respostas específicas para o período pós COVID-19.

O apoio psicológico pode abranger tanto pessoas infetadas como pessoas que procuram informação e apoio. Torna-se difícil ser psicólogo de si mesmo, especialmente em momentos de crise. Falar abertamente acerca dos anseios e medos cria espaço para a organização mental que o ajudará a serenar neste momento.

O atendimento clínico, feito através de várias plataformas digitais, é um ato psicológico e deve ser realizado exclusivamente por psicólogos, cuja prática profissional é regulada pela Ordem dos Psicólogos Portugueses.

A Clínica PSIC, desde sempre, realiza intervenções presenciais e à distância. Neste momento, e em função do isolamento social e para segurança de todos, os atendimentos passaram a ser realizados exclusivamente através de plataformas digitais. Estas intervenções têm como objetivo manter o acompanhamento psicológico para atuais clientes, mas também prestar apoio às pessoas que, neste momento, se encontram em dificuldades emocionais, pelas mais diversas razões.

Para que possa ter acesso ao atendimento online, deve garantir o acesso à internet, podendo utilizar o seu telemóvel ou computador. É importante que procure um ambiente privado e tranquilo de modo a evitar interrupções durante a sessão.

Estas são as modalidades de atendimento à distância em funcionamento na Clínica PSIC:

A comunicação é direta com uma psicóloga e todas as informações serão tratadas de forma confidencial. Se se encontra em dificuldades, nós podemos ajudar, marque a sua consulta informativa online aqui.

Disponibilizamos também outras vias pelas quais nos pode contactar, nomeadamente Facebook, Instagram, telemóvel/WhatsApp +351 968 931 541 e email: psichipnose@gmail.com.

Partilhar

Programa SOS Emoções

Olá,

Sou a Jatir Schmitt, Psicóloga Clínica e Diretora da PSIC – Psicologia Integrada

Estamos a passar por tempos difíceis e com um impacto significativo em nossas vidas. Enquanto psicólogos, ressalvamos a importância de manter as suas emoções equilibradas para que se sinta mais sereno, consciente e capaz de fazer as escolhas saudáveis para si e para os outros.

Na PSIC criámos um programa de teleapoio, o SOS Emoções, disponibilizado gratuitamente, cujo objetivo principal é ajudá-lo a minimizar o seu desconforto emocional em tempo de quarentena.

O acesso ao programa estará disponível nas nossas redes sociais, assim como conselhos e orientações úteis para a sua saúde e bem-estar psicológico.

Poderá inscrever-se no programa de teleapoio, através de um formulário, onde terá acesso aos critérios para a sua participação, indicados na descriação deste vídeo.

Conte com o nosso apoio, inscreva-se e até breve!

Pode inscrever-se no Programa SOS Emoções GRATUITO aqui 👇
https://forms.gle/pFLL1jqQTyizg2S89

Saber mais aqui.

#StaySafe #FiqueEmCasa #Psic

Partilhar

COVID-19: Exercício para reduzir o medo

Com a crise gerada pelo COVID-19, cresceu um sintoma emocional comum: o medo. Lembre-se que quanto mais cultivar emoções negativas, mais estas crescem. Neste momento de isolamento social físico, o excesso de informações que recebe pode estar a nutrir emoções indesejadas. Para que mantenha o equilíbrio emocional, deixamos aqui um exercício prático, que o pode ajudar.

Orientação prévia: crie um espaço só seu na sua casa. Um espaço seguro, onde pode estar a relaxar, meditar, ou simplesmente desfrutar dele.

  1. Concretize a emoção – acomode-se confortavelmente, da maneira que for mais apropriado para si. Preste atenção ao seu estado emocional. Crie uma imagem mental para o medo: qual o tamanho? (do tamanho de um berlinde, de uma bola de ping-pong, de uma bola de ténis, de futebol ou de basquete?). E a forma, qual é? Qual é a cor? Qual é o peso? E que temperatura tem? E onde se manifesta no seu corpo? Responda a estas perguntas num papel e, a partir das respostas, desenhe o medo. Observe como conseguiu concretizar aquilo que está a sentir. Agora, dobre o papel e reserve perto de si.
  2. Liberte-se – é o momento de libertar-se dos efeitos do medo no seu corpo.

Aí onde está, mantenha-se confortável. Respire calma e pausadamente. Concentre-se na sua respiração, no ar a entrar pelo nariz e a sair pela boca. Relembre as notas e a imagem do papel e permita que, ao expirar, toda essa energia vá embora juntamente com o ar e deixe que se evapore no espaço. Ao inspirar, imagine que a energia dourada do sol entra, preenche e acalma os seus pulmões e, através do oxigénio, espalha-se por todas as células do seu corpo, transformando-as numa estrelinha dourada. Repita 3 vezes.

  1. Descarte – agora, pegue nas notas que tinha reservado. Amasse o papel em forma de bola. De seguida, coloque no lixo que vai para o contentor.

Preserve as suas emoções com exercícios simples como este.

Na PSIC criámos um programa de teleapoio, o “SOS Emoções”, disponibilizado gratuitamente e cujo objetivo principal é ajudá-lo a diminuir o seu desconforto emocional, causado pelo isolamento. Inscreva-se através do link: https://forms.gle/pFLL1jqQTyizg2S89. Informamos também que continuamos com o trabalho clínico online e pode marcar as suas consultas através do número de telefone +351 968 931 541.

Partilhar

Guia do equilíbrio emocional durante o COVID-19

As epidemias costumam provocar pânico generalizado na população, principalmente quando existe desconhecimento e incerteza. Tendo em conta que o vírus COVID-19 se transformou numa pandemia, esta situação pode abalar a sua saúde mental e emocional.

Então, o que fazer?

A OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgou algumas diretrizes que visam proteger a sua saúde mental durante este período conturbado. Como especialistas em cuidados de saúde psicológicos, decidimos juntar outras dicas que o podem guiar neste momento:

  • Dispa-se de preconceitos – Sendo esta uma pandemia, é expectável que afete vários países e etnias. Por isso, evite vincular este novo coronavírus a uma etnia ou nacionalidade e pratique a empatia com aqueles que foram afetados.
  • Afaste-se de notícias falsas – O fluxo repentino e constante de notícias sobre um surto pode funcionar como um “gatilho” emocional que dispara a sua ansiedade. Em vez disso, procure informações para tomar medidas práticas de prevenção. Atualize-se em horários específicos durante o dia e reúna factos de fontes fidedignas, como a OMS, a DGS e ainda o Governo Português para ajudá-lo a distinguir factos de rumores.
  • Use o momento de lavar as mãos – Aproveite os múltiplos momentos em que lava as mãos para regular a sua respiração. Com atenção, respire calma e profundamente e visualize que ao expirar está a eliminar todas as emoções tóxicas produzidas pelo stress do momento.
  • Faça do relaxamento uma parte da sua rotina – Procure pequenos momentos diários só seus que o ajudem a equilibrar as emoções, como o mindfulness, meditação, ler um livro, ouvir música ou um simples banho relaxante.
  • Exercite-se – Mantenha-se ativo e pratique atividade física com regularidade.
  • Esteja perto dos seus – Nos momentos em que experienciar maior angústia, procure falar das suas preocupações a respeito do COVID-19 com pessoas próximas e mantenha contacto regular, ainda que seja à distância.
  • Utilize o teleapoio – Durante a quarentena, em caso de ansiedade, medo ou pânico relacionados com esta pandemia, saiba que criamos o projeto de teleapoio “SOS Emoções – Reduza o desconforto emocional durante o COVD-19″. Pode inscrever-se no programa através do link: https://forms.gle/pFLL1jqQTyizg2S89

Lembre-se que as autoridades de saúde pública e especialistas do mundo todo estão a trabalhar continuamente para garantir os melhores cuidados aos afetados e para descobrir uma vacina para este vírus. Evitar a propagação do vírus é uma tarefa de todos nós, assim como acalmar as emoções que tendem a atrapalhar a razão.

Evite deteriorar o seu equilíbrio psicológico em tempos de crise, cuidando de si mesmo antes de mais nada, diminuindo os efeitos do COVID-19 na sua saúde mental.

“Ao reduzir o desconforto, ganhe equilíbrio e saúde emocional!”

Partilhar