Sabia que a fibromialgia pode ser consequência de um trauma?

“Foi-me diagnosticado fibromialgia há muitos anos. Desde aí fui medicada para as dores, mas as dores nunca passavam. Sentia-me sempre muito cansada e ansiosa. Houve um dia em que tive um ataque de pânico(…). Nesse mesmo dia, um pouco cansada de tantas idas ao médico e de medicação, fiz uma pesquisa na internet e encontrei a PSIC. Comecei de imediato o meu plano terapêutico, e sinto-me outra pessoa. Agora, consigo controlar a minha ansiedade, as dores dos pés desapareceram, a cabeça está mais leve, sinto-me mais segura, mais tranquila e as dores nas costas diminuíram cerca de 85%. Foi na PSIC que encontrei alguém para me escutar e entender, alguém que parece que me conhece melhor do que eu mesma. Estou muito feliz e quero continuar com as visitas à PSIC. Muito obrigado por me darem qualidade de vida.” – Gia.

Sentir dores crónicas intensas e muitas vezes flutuantes por todo o corpo, que impedem a realização de pequenas tarefas do dia-a-dia, é o desafio das pessoas que são diagnosticadas com fibromialgia. Grande parte das vezes, pode ainda sofrer de fadiga, distúrbios de sono e episódios depressivos.

As causas da fibromialgia ainda são desconhecidas, mas existem vários fatores que são frequentemente associados a esta síndrome como:

  • genética
  • distúrbios do sono
  • ansiedade
  • depressão
  • trauma físico ou emocional

Atendendo à variedade de causas, torna-se difícil obter um diagnóstico preciso para a fibromialgia e quando há sucessivos insucessos no tratamento, a questão pode ter fundo traumático.

Como é que o trauma psicológico pode desencadear a fibromialgia?

Qualquer situação que o deixe paralisado emocionalmente, quer por exposição única ou repetida, pode resultar em trauma. Essas experiências podem ser bloqueadas pela mente, mas permanecem no sistema sob a forma de memórias profundas e de difícil acesso.

Ao desconhecer as manifestações do trauma e/ou evitar trabalhá-lo, pode facilitar a manifestação dos sintomas físicos. Lembre-se que o seu corpo tem memória e tudo o que está no seu inconsciente poderá manifestar-se no corpo como uma forma de suportar o sofrimento. Essa poderá ser a causa da sua fibromialgia.

Como é que a terapia do trauma pode aliviar os sintomas da fibromialgia?

A intervenção de um profissional de saúde mental pode melhorar o cuidado dessas dores que clamam por ajuda, através da reintegração e reinterpretação das experiências traumáticas.

A clínica PSIC pode ajudar através da terapia especializada em trauma. Esta terapia ajuda a ativar os recursos naturais produzidos pelo próprio corpo para a resolução e prevenção do trauma. É um tratamento eficaz que visa atuar na origem do problema, promovendo a dissolução das experiências traumáticas e libertação das manifestações secundárias, como a dor. O resultado é o restauro do seu bem-estar e equilíbrio emocional e físico.

Gostaria de obter mais informações acerca da terapia do trauma? Usufrua da nossa consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância.

Partilhar

Estas são as 5 dicas essenciais para controlar a dor crónica

Sabia que cerca de 37% dos portugueses em idade adulta sofrem de dor crónica? Se pertence a este grupo, talvez já tenha consultado vários médicos e sabe que embora a dor atenue por algum tempo acaba por regressar. A dor que sente é uma dor persistente ou recorrente e afeta a sua vida tanto a nível físico, como emocional e, consequentemente, a nível relacional. Talvez tenha chegado a um ponto em que não sabe o que mais fazer!

A dor crónica pode surgir devido a uma dor física aguda prolongada e de um estado emocional negativo intenso que, mesmo sem a presença de causa física, leva à existência de memórias de dor no corpo. Mas sabia que a sua dor também pode estar relacionada com questões emocionais? Traumas e stress recorrentes, bem como emoções reprimidas libertam neuro-hormonas que prejudicam o corpo.

Deixamos-lhe 5 dicas naturais para atenuar a dor e aumentar a sua qualidade de vida:

  • Alimentação – adote uma dieta que inclua alimentos anti-inflamatórios, como alguns vegetais, frutos vermelhos ou peixes gordos, para equilibrar o seu organismo;
  • Relaxamento – ao relaxar, elimina a rigidez corporal, promovendo a calma que liberta os opióides naturais responsáveis pela analgesia da dor;
  • Exercício – o exercício, prescrito pelo seu médico de acordo com o seu problema de saúde, promove o equilíbrio articular e fortalece os músculos;
  • Invista no prazer e bem-estar – algumas inflamações no nosso corpo estão relacionadas com a raiva. Como a raiva e o prazer são incompatíveis, aposte em atividades que lhe deem prazer e que acabam por afastar a dor, como: entretenimento, meditação, relaxamento, convívio, hobby,..
  • O poder da mente e a respiração – atribua uma cor à sua dor e uma cor diferente ao alívio que deseja. Agora relaxe: inspire a cor do alívio e direcione para o local da dor e expire a cor que representa a dor, sempre imaginando apenas as respetivas cores.

Sabemos que esta dor lhe causa imenso sofrimento, pode sentir incapacidade física e uma mudança nas suas relações familiares e/ou um afastamento dos seus amigos. Pode também sentir que está dependente de outros e que a sua vida nunca mais terá alegria.

Ponha em prática estas dicas e veja se consegue sozinho atenuar a dor. Tenha em atenção que, por vezes, a dor é um S.O.S que necessita de atenção profissional. Contacte-nos para marcar uma consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Partilhar

5 perguntas sobre a Fibromialgia – das causas ao tratamento

1 – O que é a Fibromialgia?
A fibromialgia é uma dor crónica que se localiza em várias partes do corpo. Geralmente, afeta músculos, tendões e ligamentos causando uma dor intensa, prejudicando a qualidade de vida e o bem-estar do paciente.

2 – Quais as principais causas para a Fibromialgia?
A principal causa da fibromialgia ainda não é conhecida, todavia considera-se que terá origem em fatores físicos e emocionais, podendo surgir devido a uma suscetibilidade genética, a traumas físicos e/ou a traumas psicológicos.

3 – Quais os principais sintomas da Fibromialgia?

  • Dor crónica generalizada – dor muscular constante localizada em vários locais específicos do corpo, como o pescoço ou a região lombar e que dura pelo menos 3 meses.
  • Ansiedade – estes sintomas podem prejudicar muito a qualidade de vida dos pacientes.
  • Alterações de Concentração e Memória – podem ter implicações nas atividade do dia-a-dia, causando muitas vezes dor de cabeça.
  • Insónias – bem como outros distúrbios do sono, como um sono perturbado, por acordar várias vezes ao longo da noite devido da dor intensa.
  • Fadiga – cansaço, mesmo após várias horas de sono
  • Depressão – sintomas depressivos, choro fácil, diminuição do prazer em realizar as atividades diárias.

4 – Como se expressa a ansiedade e depressão na Fibromialgia?
Estes sintomas quando associados à elevada severidade da dor, podem gerar pensamentos automáticos negativos, falta de otimismo e descrença em relação ao processo de recuperação, medo constante e focalização mental da dor, levando assim ao acentuar de sintomas de ansiedade e depressão.
As pessoas que sofrem de fibromialgia, por vezes optam pelo isolamento, evitam atividades sociais, que lhes poderiam proporcionar prazer em situações normais, devido à intolerância à dor que sentem. Adquirem ainda uma perceção acerca do seu estado de saúde como frágil e imprevisível, levando a um aumento de sentimentos como insegurança, frustração, inutilidade e baixa autoestima.

5 – Como tratar a Fibromialgia?
A PSIC recomenda um programa terapêutico adaptado à sua situação, para ajudar a gerir e aliviar os sintomas da doença, contribuindo para o seu bem-estar e aumento da qualidade de vida. Consulte aqui um testemunho de um paciente de fibromialgia e saiba como podemos ajudar  ou contacte-nos para uma consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Quer saber mais sobre fibromialgia? Leia também:

Partilhar

Pode ser esta a causa para os seus problemas de rins

Os rins são, por excelência, o órgão do equilíbrio físico e emocional. São a morada da nossa energia essencial. A sua principal função é a filtragem das substâncias absorvidas pelo organismo, identificando quais as substâncias benéficas e que podem ser utilizadas e quais as substâncias tóxicas que precisam ser eliminadas.

Sabia que os problemas renais podem estar relacionados com a incapacidade de filtrar, desprender e eliminar factos desagradáveis do passado, como sentimentos e comportamentos?

Estas são as 5 emoções mais frequentemente ligadas aos problemas renais:

  1. Medo

Habitualmente a emoção que desequilibra os rins é o medo. Quem se sente inseguro e com medo em relação ao futuro, anda desassossegado com várias preocupações e tende a apresentar dores nos rins.

 

  1. Conflitos Relacionais

O sistema renal é composto por um par de rins, estando dependente da parceria e cumplicidade entre o par para uma correta atividade. Assim, o bom funcionamento dos rins também pode ser posto em causa no decurso de conflitos relacionais.

 

  1. Pessimismo

O saudável funcionamento renal também é afetado pelo foco excessivo nas dificuldades;

 

  1. Confusão e Angústia 

Pela falta de direção pessoal;

 

  1. Outros 

Por problemas psicológicos herdados.

 

Se quiser esclarecer dúvidas em relação a este assunto ou se pretender saber mais sobre as causas psicológicas que podem estar na origem dos seus problemas renais, entre em contacto connosco.

Se ficou com curiosidade sobre a ligação entre a saúde emocional e física, reveja o nosso artigo O stress adoece o corpo?

Jatir Schmitt- Psicóloga Clínica

Partilhar