As 5 perguntas essenciais sobre o sentimento de culpa

Talvez seja uma pessoa que carregue culpa de situações do passado. Provavelmente, o erro até pode ter sido perdoado pelo outro, mas você não se perdoa, toma decisões para se punir, critica-se e não consegue seguir com a sua vida. O sentimento de culpa gera um peso muito grande dentro de si e para se libertar da culpa, é preciso entender como funciona o sentimento de culpa.

1 – Como surge o sentimento de culpa?

O desenvolvimento da culpa teve início na sua infância, baseada na construção das suas relações, como por exemplo, com os seus pais, familiares, professores e amigos. Essas relações guiam a forma como vai ver o mundo e como vai interpretar cada ação. O sentimento de culpa surge quando avalia um comportamento seu como reprovável e se julga de forma negativa, acreditando que não consegue viver de acordo com a sua ação passada.

2 – Como se manifesta o sentimento de culpa?

O sentimento de culpa pode manifestar-se pela vergonha e/ou raiva, aliando-se a pensamentos do tipo “Porque é que fiz isto?”, “Nunca me vou perdoar” ou “Nem acredito que agi assim”. Se não conseguir sair dessa espiral, a culpa pode dominar a sua vida e criar inúmeros problemas.

3 – Quais as consequências do sentimento da culpa?

Complexo de inferioridade, medo do fracasso e exigência exagerada em relação a si e ao outro. Por norma, pessoas perfeccionistas não abrem espaço para o erro, para possíveis fracassos, e quando isso acontece surge a culpa e aumenta a autocrítica, a autopunição e, consequentemente, o sofrimento.

4 – O sentimento de culpa pode ser positivo?

Sim! O sentimento de culpa pode ser positivo se ajudar a desenvolver melhores alternativas para situações semelhantes à que aconteceu no passado.

5 – Como lidar com o sentimento de culpa?

  • Desenvolva o autoperdão e deixe o erro onde ele aconteceu – no passado.
  • Trabalhe a sua autocompaixão: pense o que diria a um amigo que se estivesse nessa situação e diga essas palavras a si mesmo.
  • Amplie a sua consciência e perceba as melhorias na sua vida.

A Clínica PSIC ajuda na limpeza da carga emocional para ativar os recursos internos e também oferece ferramentas que possibilitam o alcance do seu bem-estar e da paz pessoal. Saiba como, através da marcação de uma consulta informativa gratuita! As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

 

Partilhar

Porque é urgente libertar-se da mágoa (e como)

É uma pessoa que carrega uma mágoa durante muito tempo e que nunca se consegue desligar completamente dos pensamentos e sentimentos relacionados com isso? Talvez até esteja a passar por uma relação em que está magoado e parece que essa dor se apodera cada vez mais de si. Essa mágoa acaba por afetar a sua vida, perde a confiança nas pessoas, em si mesmo, sente-se inseguro e com raiva.

Peço-lhe que reflita por uns instantes na definição da sua mágoa. A maioria das pessoas caracteriza-a como um peso no peito, rancor, angústia, tristeza e culpa o outro por ferir os seus valores e expectativas, acabando por ficar à espera que o outro mude, que tenha alguma ação e que tire este peso do seu peito. Mas o que acontece é que o outro não faz nada e mesmo quando tenta, a mágoa persiste. Leia a seguinte história que poderá retratar o peso da mágoa na sua vida:

“Numa aula, o professor pediu para que cada aluno levasse várias batatas e um saco. Já na aula, pediu aos alunos que escolhessem uma batata para cada pessoa de quem sentiam mágoa, escrevessem o respetivo nome da pessoa na batata e as guardassem no saco. Os alunos, durante uma semana, tinham de andar sempre com o saco das batatas consigo. As batatas foram-se estragando e era cada vez mais percetível o cheiro a podre que cada batata tinha. Para além disso, andar sempre com o saco era incomodativo e não lhes dava liberdade. Este exercício acabou por mostrar aos alunos o peso diário que a mágoa gera. Como eles estavam constantemente focados no saco e não o podiam deixar em nenhum lugar, os alunos deixaram de prestar atenção a outras coisas que eram importantes para eles.”

Então, o que tem de fazer para deitar fora a sua batata podre? Deixamos-lhe 4 dicas para ultrapassar a mágoa e seguir com a sua vida de uma forma inteira e positiva:

  • A responsabilidade da mágoa é sua – culpar o outro apenas o faz ficar no papel de vítima e perdura a mágoa. Tem de se responsabilizar por aquilo que sente e de assumir a sua própria vida
  • Volte à situação – pense e perceba o que faltou em si e não no outro
  • Analise o motivo da sua inação no momento – depois de identificar a ação que faltou em si, perceba o porquê. Foi o medo de perder a pessoa? Insegurança? Quais os benefícios secundários que isso lhe trouxe?
  • Transforme essa energia de inação em energia de ação – procure pensar no que pode fazer para mudar a mágoa que sente

Quando identifica a mágoa como sua inteira responsabilidade e passa da inação para a ação, alcança finalmente o sentimento de leveza. Se sente que ainda tem dificuldades em assumir a mágoa como sua responsabilidade, saiba que a ajuda psicológica facilita este processo. Saiba como através da marcação de uma consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Partilhar