Como eliminar os pensamentos negativos

Sente-se triste e não consegue parar este tipo de pensamentos:
– O que vão pensar de mim?
– Podia ter feito melhor…
– Só acontece comigo!
– As pessoas são todas iguais!
– É sempre a mesma coisa!

Quando os pensamentos negativos dominam o seu dia-a-dia, a sua vida bloqueia, a tristeza perdura e o negativismo instala-se. Gostaria de mudar este estado de espírito? Leia com atenção esta sábia história:

Certo dia, o velho Mestre pediu a um jovem triste que colocasse uma mão cheia de sal num copo de água e que depois o bebesse.
– Qual é o gosto? – perguntou o Mestre.
– Mau – disse o jovem sem pensar duas vezes.
O Mestre sorriu, e então pediu ao jovem que pegasse noutra mão cheia de sal e fosse com ele ao lago. Os dois caminharam em silêncio e, quando chegaram, o Mestre pediu ao jovem para deitar o sal ao lago. O jovem assim o fez. Logo após o velho Mestre disse:
– Beba um pouco dessa água.
O jovem bebeu e enquanto a água escorria do seu queixo, o Mestre perguntou:
– Qual é o gosto?
– Bom! – disse o jovem sem pestanejar.
– Consegue sentir o gosto do sal? – perguntou o Mestre.
– Não – disse o jovem.
O Mestre então sentou-se ao lado do jovem, pegou nas suas mãos e disse:
– A dor na vida de uma pessoa não muda. Mas o sabor da dor depende de onde a colocamos. Quando sentir dor, a única coisa que deve fazer é aumentar o sentido de tudo o que está à sua volta. É dar mais valor ao que você tem do que ao que perdeu. Noutras palavras: é deixar de ser copo, para tornar-se um lago.”

Siga os conselhos do velho Mestre e elimine os pensamentos negativos. Veja este pequeno exercício:
– Perceba o que o entristece. Identifique os pensamentos negativos que surgem, sinta e ouça-os com atenção.
– Comece por desligar-se do mundo, respire fundo e imagine que é um lindo lago, onde dissolve os pensamentos negativos na imensidão da sua água limpa. Sinta a sensação de frescura e de clareza mental.  É um momento especial, a sós consigo próprio, a flutuar no lago dos bons pensamentos.
– Uma pequena pausa como esta, muda o foco, limpa a mente e acalma o coração.

A autoajuda pode ser um começo para aliviar o seu sofrimento e tomar consciência. Mas por vezes, os conselhos e as dicas não são o suficiente. A sua tristeza e sofrimento podem ter causas mais profundas. Se está com dificuldades em lidar com estes pensamentos, este é o momento certo para procurar ajuda profissional. A intervenção de um psicólogo pode ajudar. Saiba como podemos ajudar através da marcação de uma consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Partilhar

Estes são os 6 motivos para deixar de fumar

Sabemos que o tabaco cria dependência. Momentaneamente provoca euforia e prazer, o que atua como reforço positivo induzindo à repetição cada vez mais frequente do ato de fumar.  Para além disso, dá a ilusão de relaxamento, o que diminui a ansiedade e para algumas pessoas, é também um elemento mediador e facilitador no convívio social.

Reconhece estes benefícios? Se sim, possivelmente faz parte da categoria de fumadores. No entanto, os benefícios do tabaco são dramaticamente inferiores às suas consequências!

Deixamos-lhe 6 grandes motivos para deixar de fumar:

  1. Saúde: os níveis de monóxido de carbono no organismo baixam e os de oxigénio aumentam; melhora a circulação; diminuiu o risco de doenças cardiovasculares e de cancro;
  2. Vida sexual: a líbido aumenta e melhora o desempenho sexual;
  3. Boca sã: melhora o hálito, o paladar e reduz problemas dentários;
  4. Aparência: reduz o envelhecimento precoce e a celulite;
  5. Vitalidade: vai sentir-se menos cansado e conseguirá realizar atividades que antes eram um impedimento;
  6. Mais vida: um não fumador vive, em média, mais 10 anos do que um fumador.

Quer deixar de fumar, mas não sabe como? Já fez algumas tentativas, mas acaba por recair no tabaco? A clínica PSIC – Psicologia Integrada possui um programa anti tabagismo especialmente pensado para si: o programa Deixar de Fumar! Saiba como podemos ajudá-lo em apenas três passos. Contacte-nos para marcar uma consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Partilhar

Um testemunho sobre Ansiedade

Margarida sempre se caracterizou como uma pessoa muito ativa, alegre e com um gosto especial por viajar por todo o mundo. A ansiedade não escolhe idades e por volta dos seus 70 anos, Margarida começou a ter crises de ansiedade que mudaram a sua vida. Tomava muita medicação e sentia-se cada vez pior psicológica e fisicamente: não tinha equilíbrio, caía e a inatividade começou a apoderar-se de si. A Margarida entrou em contacto connosco, ainda que um pouco cética devido aos insucessos com outros tratamentos anteriores.

Partilhamos aqui o seu testemunho:

“Desde há dois anos, que sofria de crises de ansiedade que me tornavam a vida insuportável. Sentia-me pessimamente, desmotivada, sem animo, sem força para fazer o que quer que fosse, mesmo aquilo que eu mais gostava de fazer anteriormente. Depois de diversas tentativas para, pelo menos, minimizar o mal que me atormentava, revelou-se infrutífero, levando-me a um estado de desânimo total. Por sugestão, recorri à clínica PSIC. Confesso que depois de tantos insucessos anteriores, sentia-me um pouco desconfiada dos resultados. Iniciei o tratamento, com cautela, avaliando o seu efeito e após duas ou três sessões pude verificar (agora com confiança) que estava a resultar. Com o prosseguimento do tratamento comecei a sentir-me cada vez melhor, as crises de ansiedade diminuíram de intensidade e de frequência, e pude prosseguir com a minha vida normal. No final, sentia-me bem, mesmo muito bem, o pesadelo desapareceu e a vida voltou a ter cor!”

Leia também: SOS Ansiedade

Também sofre de ansiedade?

Ao ler e ouvir este testemunho, identificou-se com a história de Margarida? Tem crises de ansiedade que afetam a sua rotina diária?

Na Clínica Psic – Psicologia Integrada estabelecemos um programa de intervenção com estratégias terapêuticas eficazes na regulação da ansiedade, promovendo o equilíbrio da sua vida. Se, tal como a Margarida quer que a sua vida volte a ter cor, contacte-nos para marcar uma consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Partilhar

Estas são as 5 dicas essenciais para controlar a dor crónica

Sabia que cerca de 37% dos portugueses em idade adulta sofrem de dor crónica? Se pertence a este grupo, talvez já tenha consultado vários médicos e sabe que embora a dor atenue por algum tempo acaba por regressar. A dor que sente é uma dor persistente ou recorrente e afeta a sua vida tanto a nível físico, como emocional e, consequentemente, a nível relacional. Talvez tenha chegado a um ponto em que não sabe o que mais fazer!

A dor crónica pode surgir devido a uma dor física aguda prolongada e de um estado emocional negativo intenso que, mesmo sem a presença de causa física, leva à existência de memórias de dor no corpo. Mas sabia que a sua dor também pode estar relacionada com questões emocionais? Traumas e stress recorrentes, bem como emoções reprimidas libertam neuro-hormonas que prejudicam o corpo.

Deixamos-lhe 5 dicas naturais para atenuar a dor e aumentar a sua qualidade de vida:

  • Alimentação – adote uma dieta que inclua alimentos anti-inflamatórios, como alguns vegetais, frutos vermelhos ou peixes gordos, para equilibrar o seu organismo;
  • Relaxamento – ao relaxar, elimina a rigidez corporal, promovendo a calma que liberta os opióides naturais responsáveis pela analgesia da dor;
  • Exercício – o exercício, prescrito pelo seu médico de acordo com o seu problema de saúde, promove o equilíbrio articular e fortalece os músculos;
  • Invista no prazer e bem-estar – algumas inflamações no nosso corpo estão relacionadas com a raiva. Como a raiva e o prazer são incompatíveis, aposte em atividades que lhe deem prazer e que acabam por afastar a dor, como: entretenimento, meditação, relaxamento, convívio, hobby,..
  • O poder da mente e a respiração – atribua uma cor à sua dor e uma cor diferente ao alívio que deseja. Agora relaxe: inspire a cor do alívio e direcione para o local da dor e expire a cor que representa a dor, sempre imaginando apenas as respetivas cores.

Sabemos que esta dor lhe causa imenso sofrimento, pode sentir incapacidade física e uma mudança nas suas relações familiares e/ou um afastamento dos seus amigos. Pode também sentir que está dependente de outros e que a sua vida nunca mais terá alegria.

Ponha em prática estas dicas e veja se consegue sozinho atenuar a dor. Tenha em atenção que, por vezes, a dor é um S.O.S que necessita de atenção profissional. Contacte-nos para marcar uma consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Partilhar

Como alcançar a Saúde Plena

Saúde – ausência de doença; situação plena do bem-estar físico, mental e social (de acordo com a Organização Mundial de Saúde).

Ao contrário do que a maioria das pessoas pode pensar a saúde física está relacionada com a saúde mental e as duas são inseparáveis, porque raramente a saúde física é plena quando a saúde mental não está em equilíbrio e vice-versa. O ser humano consegue estar perto de ter uma saúde na sua plenitude quando atinge um equilíbrio entre sentir-se bem consigo próprio e ter interações com os outros. É desta forma que tem as ferramentas necessárias para enfrentar os desafios constantes da vida e as exigências que a mesma implica.

Cuidar da saúde não se limita a minimizar ou controlar os sintomas que comprometem o nosso bem-estar, mas também (e mais importante) a considerar os aspetos importantes para nós como as relações pessoais, sociais, emocionais, relacionamentos e convivência. Cabe a cada um de nós começar a ter atitudes mais positivas e preventivas para o nosso projeto de vida.

Podemos ter uma saúde mais positiva quando nos tornamos capazes de compreender o meio envolvente e conseguimos adaptá-lo caso necessário, transformamos os nossos comportamentos e assim aumentamos a nossa capacidade para lidar com os acontecimentos de vida negativos protegendo a nossa saúde. Imagine que o seu corpo é uma máquina e como tal requer uma manutenção continuada, lembre-se de que é o grande responsável por manter o seu corpo e a sua saúde saudável.

Neste Dia Mundial da Saúde, relembramos-lhe as 5 atitudes fundamentais para melhorar a sua saúde (física e mental):
1 – Alimente-se bem e de forma equilibrada: a alimentação é importante para o seu bem estar físico pois influencia na prevenção contra várias doenças crónicas como a obesidade e diabetes, entre outras. Por outro lado, uma boa alimentação pode ser benéfica no humor, no funcionamento intelectual e no seu estado de espírito.
2 – Durma bem (entre 6 e 8 horas por noite): uma boa noite de sono pode ajudá-lo a lidar com a ansiedade e o stress. Procure manter um horário de sono regular e tente estabelecer rotinas de horários ao deitar e acordar.
3 – Exercite a mente (jogos e leitura): a autoajuda pode ser útil para ter um maior controlo de si e das suas emoções, contribuindo para uma vida mais satisfatória. Procure ter hábitos de leitura e escrita, pois são uma forma de organizar os seus pensamentos e libertar a ansiedade e as ideias negativas. Irá sentir-se muito melhor e relaxado.
4 – Pratique atividade física regular: qualquer movimento corporal é uma enorme ajuda para melhorar o seu bem-estar. Basta apenas uma caminhada de trinta minutos para o ajudar a ter mais agilidade mental e energia e a melhorar o seu estado de humor. Pode também ser um momento agradável da sua vida contribuindo para o seu bem-estar psicológico e físico.
5 – Relaxe: tire breves instantes do seu dia para realizar exercícios de relaxamento, bastante úteis para aliviar ou melhorar vários problemas que pode sentir, tais como ansiedade, stress, dor, insónia, entre outros. Procure o momento do dia mais relaxante para si e tente ficar confortável num ambiente tranquilo onde ninguém o possa incomodar. Feche os olhos, preste atenção a todas as suas sensações corporais como o respirar lentamente, o calor, a temperatura do seu corpo e concentre-se nos batimentos cardíacos. Assim, irá sentir que tem o controlo de todo o seu corpo e da sua mente conseguindo atingir a harmonia.

Siga estas 5 dicas e tenha uma saúde plena!

Contacte-nos para marcar uma consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Partilhar

As 5 perguntas essenciais sobre o medo do escuro

1 – O que é o medo do escuro?
O medo é uma reação natural, involuntária e protetora que nos ajuda a lidar com o perigo. A Nictofobia (medo do escuro) pode ter origem num trauma de infância ou de outro momento da nossa vida, assim como pode ser desencadeado a qualquer altura no ambiente que nos rodeia.

2 – Quais os principais sintomas físicos e emocionais do medo do escuro?

  • Depressão e ansiedade
  • Respiração rápida e superficial
  • Palpitações cardíacas, tremor, dores
  • Dores no peito ou sensação de asfixia
  • Náuseas e outros problemas gastrointestinais
  • Choro, gritos, pavor
  • Redução de apetite ou compulsão alimentar
  • Insónia
  • Sensação de estar a morrer ou fobia da morte (Tanatofobia)
  • Medo de ser atacado por seres sobrenaturais (Espectrofobia)

3 – Quais os principais comportamentos e atitudes do medo do escuro?

  • Olhar debaixo da cama ou por todo o quarto
  • Recusar-se a dormir sozinho
  • Recusar-se a sair de casa depois do anoitecer
  • Tentar ficar acordado a noite toda
  • Adiar o ato de ir para a cama para dormir
  • Ver televisão até tarde ou dormir com a televisão ligada
  • Adormecer no sofá

4 – Quais as principais consequências do medo do escuro?
O medo do escuro pode impactar negativamente a sua qualidade de vida – prejudicando o sono, mudando os hábitos alimentares, provocando maior stress ou até depressão. Estes sintomas por sua vez podem ter consequências mais graves, especialmente a relação com os outros, desentendimentos a nível social e menos produtividade no trabalho.

5 – Como perder o medo do escuro?
Se sente que o medo do escuro está a prejudicar a sua qualidade de vida, procure ajude psicológica. Na Clínica PSIC identificamos a origem da fobia e trabalhamos consigo e com o auxílio de diversas ferramentas práticas para eliminar este núcleo fóbico, aumentar a sua autoconfiança e o domínio sobre o medo.

Contacte-nos para marcar uma consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Partilhar

Será que sofre de Perturbação de Personalidade Dependente?

Confira as 12 características principais da Personalidade Dependente

Será que sofre de personalidade dependente? Conheça as 12 características principais e confira se se identifica com algumas.

  • Necessidade excessiva de ser cuidada e protegida pelos outros;
  • Dificuldade de ficar e de viver sozinha;
  • Medos internos e insegurança emocional;
  • Dificuldade na tomada de decisões no dia-a-dia;
  • Precipitação no início das relações amorosas;
  • Idealização do companheiro;
  • Desvalorização das suas necessidades e desejos em função do outro;
  • Falta de iniciativa na realização das tarefas do quotidiano;
  • Submissão em relação aos desejos dos outros;
  • Manutenção de relacionamentos desequilibrados ou distorcidos;
  • Incapacidade de fazer o luto no fim das relações;
  • Substituição prematura do ex-companheiro.

Estas são algumas das caraterísticas que contribuem para uma personalidade dependente. Se se identifica com algumas destas características, saiba como podemos ajudar  e contacte-nos para marcar uma consulta informativa gratuita.. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Partilhar

As 10 atitudes para uma vida mais feliz

Pequenas atitudes podem transformar a sua maneira de pensar e de suprimir todo o peso que tem em si, permitindo viver com bom humor e tranquilamente. Estas são as 10 atitudes para uma vida mais feliz:

  • Encare a vida de forma mais divertida
    Basta dar tempo ao tempo, aproveitar o presente, desvalorizar aquilo que o incomoda e deixar de ser perfecionista e demasiado exigente consigo próprio.
  • Viva cada momento com calma
    Acalme o ritmo e desacelere a rotina. Observe os pormenores, a forma como caminha e como faz as suas atividades, por vezes, sob stress e com excessiva rapidez.
  • Aproveite o máximo de tempo com quem gosta (mesmo) muito
    Esforce-se para estar rodeado de pessoas espontâneas que lhe tragam bem-estar e boa-disposição. As boas companhias fazem-nos evoluir e viver a vida com mais ligeireza e harmonia. Afinal, os melhores momentos das nossas vidas são quase sempre partilhados com alguém especial.
  • Descomplique os seus pensamentos
    Os pensamentos surgem de modo automático do nosso cérebro. Aparecem sem darmos conta, mas podemos controlá-los, tentando substitui-los por pensamentos mais positivos para que nos sintamos bem.
  • Evite lamentar-se! Seja grato!
    Lamentar-se constantemente traz infelicidade, tristeza e sobrecarrega a sua vida. Opte por agradecer mais vezes por tudo o que tem e por ver sempre o lado mais positivo.
  • Use a boa disposição nos momentos mais difíceis
    A dificuldade faz parte da vida. Aprenda a lidar com os imprevistos e acumule novos recursos para utilizar no futuro. Relativize mais os momentos difíceis.
  • Evite a imaginação catastrófica
    Olhe para as adversidades, analise e escolha a alternativa mais viável. Aguarde pacientemente o processo natural de solução, esteja atento e viva um momento de cada vez enquanto segue com a sua vida.
  • Seja positivo
    Preencha a sua vida com notícias positivas e atividades que o animem. Visite sítios interessantes e inspiradores. Invista mais na positividade e em tudo que inspire alegria.

  • Acrescente leveza à sua vida
    Relacione-se com a terra, com o mundo e com as pessoas. Faça desporto, mude o seu visual e sinta-se confortável, aventure-se. Faça uma pausa, brinque como quando era criança, emocione-se, abrace o silêncio e ilumine-se com sorrisos.
  • Seja gentil e bondoso
    Quando somos bondosos, mostramos alegria, amor e harmonia e abrimos o nosso coração. Vivemos mais leves, mais contentes se imanarmos energia positiva a todas as pessoas. A leveza vem de dentro para fora, tal como o amor, somos amados se soubermos amar!

É possível viver uma vida mais feliz! Se está com dificuldades em encontrar a sua felicidade, este é o momento certo para recomeçar! Saiba como podemos ajudar através do nosso site e contacte-nos para marcar uma consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Partilhar

Como ser uma pessoa mais serena?

Serenidade – é a palavra que caracteriza a tranquilidade, principalmente quando está presente em situações complicadas.

Gerir a ansiedade, diminuir as preocupações e a pressão do tempo e investir nos momentos de prazer com melhor disposição, mais alegria e vontade de viver, ajuda-nos a projetar uma vida serena e com mais leveza.

Quando vivemos com excesso de preocupações ou problemas que necessitam de ser resolvidos, tendemos a estagnar e a bloquear, acabando por criar um modo de vida disfuncional. Quando nos sentimos em paz, estranhamo-nos e consideramos que estar bem emocionalmente é invulgar e anormal.

Viver com serenidade mesmo quando nos sentimos rodeados pelas adversidades, significa apreciar um encontro com nós próprios. Respire bem fundo, decida que é necessário prosseguir adiante e retribuir à vida um significado mais leve.

Quando os caminhos da vida são agrestes, difíceis e irregulares, nos momentos em que a serenidade o chamar, dê-lhe espaço para que ocupe um lugar na sua vida, permitido o seu desenvolvimento e crescimento pessoal. Viva com serenidade, com coragem e ultrapasse os obstáculos da vida. Reaprenda a evoluir e a viver mais despreocupadamente!

Se reconhece esta realidade e acha que é difícil para si superar as suas dificuldades, procure ajuda de um profissional. Os psicólogos podem ser um grande auxílio perante os momentos mais difíceis da sua vida, dando-lhe as ferramentas para os ultrapassar. Veja aqui como podemos ajudar ou contacte-nos para marcar uma consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Partilhar

Sofre de fadiga crónica?

Conheça os 5 fatores que causam fadiga e identifique quais é que estão relacionados com o seu estado atual e quais as suas recomendações.

  • Tempo de sono insuficiente
  • A falta de descanso adequada pode influenciar negativamente a nossa concentração e a nossa saúde física e mental.
    Recomendação: Procure ter um horário regular de sono, sem a presença de televisões, computadores, telefones e smartphones no quarto de forma a ter um sono saudável.

  • Alimentação desadequada
  • Uma alimentação insuficiente em proteínas, vitaminas e minerais são responsáveis pela perda de energia e disposição.
    Recomendação: Analise se a sua alimentação é equilibrada e saudável, caso necessite de ajuda consulte um profissional de saúde alimentar.

  • Depressão
  • Além de ser uma perturbação emocional, pode ter implicações físicas, tais como dores de cabeça, perda de apetite e de peso, provocando sensação de fadiga.
    Recomendação: Dedique mais tempo a si mesmo. Conviva com mais pessoas, envolva-se em novas experiências e atividades e recorra a ajuda psicoterapêutica.

  • Excesso de cafeína
  • A cafeína pode aumentar o estado de alerta e concentração, o ritmo cardíaco, a pressão arterial e a agitação.
    Recomendação: Elimine de forma gradual o café, chá, chocolate e qualquer medicação que contenha cafeína pois caso elimine de repente, pode agravar os sintomas de fadiga.

  • Stress
  • O nervosismo, a tensão e a ansiedade sentidos no dia-a-dia, com o trabalho, as preocupações familiares e relacionamentos, pode originar fadiga crónica.
    Recomendação: É importante gerir as suas emoções, estabelecendo um ponto de equilíbrio.

Se se identifica com alguns destes fatores sem motivo aparente e considera que as recomendações são insuficientes para melhorar, é aconselhável que procure ajuda.
Contacte-nos para marcar uma consulta informativa gratuita.. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

5 perguntas sobre a Fibromialgia - das causas ao tratamento

Partilhar