8 chaves para a saúde emocional e o acesso à paz interior

Artigo do mês

8 chaves para a saúde emocional e o acesso à paz interior

Encontrar o equilíbrio emocional e paz interior pode ser uma tarefa simples, se começar por fazer pequenas mudanças internas, que o ajudarão a aceitar e a lidar com as emoções de forma mais eficaz. Para o ajudar a começar com pequenas mudanças em 2020, damos-lhe 8 chaves para acionar o despertar da consciência amorosa, alcançar a saúde emocional e aceder à paz interior:

Chave 1: Silêncio – Mesmo quieto, a tagarelice contínua na sua mente. São os pensamentos intrusivos e compulsivos que ocorrem sem ter consciência, tornando-se impossível obter silêncio. Ao se desidentificar desses pensamentos, pode focar a sua atenção no espaço vazio entre um pensamento e outro, entrando num estado de quietude e paz.

Chave 2: Verdade – Saiba que é necessária coragem para enfrentar as próprias falsidades. Procure identificar os seus segredos íntimos e ser honesto consigo e com a vida. Quando necessita usar uma máscara para o mundo, perde a espontaneidade e deixa de ser autêntico, por isso, não se pode esquecer de tirar a máscara para si mesmo. Não adianta esconder-se de si, nem mesmo o lado mais sombrio. Faça uma análise da sua vida e reveja onde e quando deixa de ser honesto consigo.

Chave 3: Retidão – Ser correto não depende de uma confirmação do mundo. Trata-se de uma ação determinada pela intuição, que é a voz do seu coração. É ter coragem para ser você mesmo, autêntico e espontâneo, sem recear ser rejeitado pelos outros ou ansiar pela aceitação incondicional. Procure ser íntegro ao ter respeito pelos outros e principalmente por si, pela sua história e pelas suas emoções.

Chave 4: Não-violência – Ter ações altruístas ou sem ego é o segredo. Deixar de ser um canal de maldade e destruição do outro e de si mesmo, a qualquer nível. Na hora de agir, experimente ter em conta os seus próprios desejos e também os de outras pessoas, sem ter em consideração uma contrapartida. Compreenda que a sua felicidade pode residir na felicidade dos outros.

Chave 5: Amor preciso – Procure identificar em que situações e com quem ainda tem dificuldade em ser amoroso. Amar inclui a sinceridade e o desejo de que o outro seja feliz, despertando o potencial adormecido no outro e ser fonte de força para ele acordar. Através desse processo de autoconsciência descobrimos muito sobre nós mesmos e abrimos canais para que o amor flua.

Chave 6: Eu verdadeiro – A mente humana identifica-se com traumas e jogos. Deste modo torna-se necessário passar por um processo de transformação do eu interior, relacionado com os sofrimentos causados por choques de dor infligidos ao longo da vida, principalmente na infância. Este processo de limpeza interior que estabelece relações entre os traumas da infância e os seus modos de ação do presente, impulsiona a descoberta do seu verdadeiro eu.

Chave 7: Doação ao próximo – Dar-se verdadeiramente ao outro, sem máscaras, sem necessidade de agradar ou fazer o que é certo. Quando dá uma parte de si, está a doar aquilo que um dia recebeu e que fez diferença. Se alguém ou algo gerou impacto antes, é possível que possa transmitir isso como forma de retribuição. Lembre-se que doar-se é mais que apenas ceder o que sobra, é dar algo importante, uma experiência, uma lição, uma alegria ou até uma tristeza que já converteu em aprendizagem.

Chave 8: Além das aparências – Passar a ser capaz de ver o outro além das aparências, abrindo-se para o que há de bom no outro e na relação que estabelece com ele. Muitas vezes, pode estar em contextos onde as pessoas se esforçam para aparentar ser algo que não são e vender virtudes. Procure ver para além do que os seus sentidos captam, e procure pela sua essência interna, vivendo em sintonia com ela, ao mesmo tempo que respeita a das outras pessoas.

Durante este processo de descoberta da paz interior, é possível que encontre obstáculos. Aos poucos, vai aprender a identificá-los e removê-los e o começo do novo ano, é uma data ideal para iniciar a sua jornada de organização emocional e paz interior. Para muitos, esse é o momento onde poderão organizar-se para constituir a mudança, aumentar a sua disposição para cumprir objetivos, retomar propósitos, criar novos e reformular e até abandonar ideias.
As promessas de início de ano surgem pela mesma razão que se estimula as pessoas a começarem a dieta numa segunda-feira. Como garantir a continuidade da realização dessas promessas?

Aproveite a energia e predisposição natural desta época e comece por planear o seu ano que será útil, tanto para estipular os novos desafios e como os pretende atingir, como para equilibrar as emoções quando estiver a passar por uma fase de maior tristeza ou stress. Invista na sua organização emocional e procure aplicar as 8 chaves no seu dia-a-dia, como auxílio para encontrar a paz interior.

*Baseado no livro: “Transformar o sofrimento em alegria” de Sri Prem Baba

Partilhar

Teste: está a cometer um crime contra a sua saúde emocional?

Cometer um crime é para si impensável? É alguém com valores e princípios e que nunca faria nada para se prejudicar a si próprio ou a terceiros? Pense um pouco sobre o seu dia-a-dia e pergunte-se:

  • Alimento-me de forma equilibrada e saudável?
  • Crio condições para ter um sono tranquilo e reparador?
  • Pratico exercício físico regularmente?
  • Cuido da minha espiritualidade?
  • Para além do trabalho, tenho tempo para a minha família e amigos?
  • Reservo parte do meu tempo para fazer algo que gosto?

As perguntas podiam ser infinitas. Se respondeu “não” a, pelo menos, uma destas questões, saiba que está a cometer um crime. Ao descuidar-se consigo e com a sua saúde comete um crime contra a sua saúde emocional e está a comprometer o seu único e verdadeiro bem – a sua vida.

Não acredita? Reveja que código penal considera crime e verifique como está a tratar a sua saúde emocional*:

  • Causa-efeito – o mal-estar que resulta do adoecer, apenas é atribuível a quem o causou. Por ação ou omissão, poderá estar a prejudicar a sua saúde emocional.
  • Omissão – quando ignora a possibilidade de agir e prevenir o comprometimento da saúde, estando consciente dos riscos que o seu comportamento acarreta à sua saúde emocional.
  • Tipo de crime:
  • Doloso – se age de forma livre e espontânea, sabe que é errado e assume o risco. Por exemplo: “Sei que fumar faz mal à saúde. Fumo porque quero!”;
  • Culposo – contribui para o adoecer por imprudência (por exemplo, passar o sinal vermelho); negligência (por exemplo, desleixar-se com os deveres para o seu bem-estar) ou imperícia (por exemplo, automedicar-se sem capacitação profissional).
  • Omissão de socorro – ignora os avisos que o seu corpo lhe dá e adia sempre as questões relacionadas com o cuidado da sua saúde emocional, deixando de cuidar de si e das pessoas à sua volta. É importante lembrar que os sintomas são alertas de que algo está a correr mal.
  • Infração de medida sanitária prevista – transgride leis da natureza e da sociedade que servem para impedir a propagação de doenças que se podem evitar (ex: falta de vacinação e higiene, alimentação inadequada, falta de exercício físico, falta de cuidados primários, negligência mental e emocional).
  • Exercício ilegal nos cuidados da saúde – realiza um autodiagnóstico e faz automedicação, evitando procurar ajuda específica.
    Falsidade ideológica – esconde e nega, tanto para si, como para o outro, o que realmente sente, o seu sofrimento e necessidade de ajuda especializada.
  • Penalidade – todo o crime contra a sua saúde tem consequências perante a sua qualidade de vida. Neste caso a penalidade que falamos também é uma prisão, mas uma prisão sem grades! A dor, o sofrimento, o mal-estar… é o colapso do maior bem, a sanidade! Zelar pela saúde emocional é ter respeito consigo mesmo e pela sua vida.

Se esta analogia evidenciou a sua negligência perante a saúde e considera difícil agir corretamente em benefício próprio e dos que o rodeiam, deixe de se prejudicar e procure ajuda.

A Clínica PSIC utiliza abordagens integrativas e sistémicas na área da Psicologia Clínica, para que possa refletir sobre o seu modo de vida e equilibrar as diferentes áreas implícitas na saúde emocional. Atua também com processos preventivos no sentido de desenvolvimento pessoal e autoconhecimento. Para saber mais informações, usufrua da nossa consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância.

*Adaptação do livro “Promoção da Qualidade de Vida” e homenagem ao Médico e Professor Dr. Joaquim Monte

Partilhar

Como alcançar a Saúde Plena

Saúde – ausência de doença; situação plena do bem-estar físico, mental e social (de acordo com a Organização Mundial de Saúde).

Ao contrário do que a maioria das pessoas pode pensar a saúde física está relacionada com a saúde mental e as duas são inseparáveis, porque raramente a saúde física é plena quando a saúde mental não está em equilíbrio e vice-versa. O ser humano consegue estar perto de ter uma saúde na sua plenitude quando atinge um equilíbrio entre sentir-se bem consigo próprio e ter interações com os outros. É desta forma que tem as ferramentas necessárias para enfrentar os desafios constantes da vida e as exigências que a mesma implica.

Cuidar da saúde não se limita a minimizar ou controlar os sintomas que comprometem o nosso bem-estar, mas também (e mais importante) a considerar os aspetos importantes para nós como as relações pessoais, sociais, emocionais, relacionamentos e convivência. Cabe a cada um de nós começar a ter atitudes mais positivas e preventivas para o nosso projeto de vida.

Podemos ter uma saúde mais positiva quando nos tornamos capazes de compreender o meio envolvente e conseguimos adaptá-lo caso necessário, transformamos os nossos comportamentos e assim aumentamos a nossa capacidade para lidar com os acontecimentos de vida negativos protegendo a nossa saúde. Imagine que o seu corpo é uma máquina e como tal requer uma manutenção continuada, lembre-se de que é o grande responsável por manter o seu corpo e a sua saúde saudável.

Neste Dia Mundial da Saúde, relembramos-lhe as 5 atitudes fundamentais para melhorar a sua saúde (física e mental):
1 – Alimente-se bem e de forma equilibrada: a alimentação é importante para o seu bem estar físico pois influencia na prevenção contra várias doenças crónicas como a obesidade e diabetes, entre outras. Por outro lado, uma boa alimentação pode ser benéfica no humor, no funcionamento intelectual e no seu estado de espírito.
2 – Durma bem (entre 6 e 8 horas por noite): uma boa noite de sono pode ajudá-lo a lidar com a ansiedade e o stress. Procure manter um horário de sono regular e tente estabelecer rotinas de horários ao deitar e acordar.
3 – Exercite a mente (jogos e leitura): a autoajuda pode ser útil para ter um maior controlo de si e das suas emoções, contribuindo para uma vida mais satisfatória. Procure ter hábitos de leitura e escrita, pois são uma forma de organizar os seus pensamentos e libertar a ansiedade e as ideias negativas. Irá sentir-se muito melhor e relaxado.
4 – Pratique atividade física regular: qualquer movimento corporal é uma enorme ajuda para melhorar o seu bem-estar. Basta apenas uma caminhada de trinta minutos para o ajudar a ter mais agilidade mental e energia e a melhorar o seu estado de humor. Pode também ser um momento agradável da sua vida contribuindo para o seu bem-estar psicológico e físico.
5 – Relaxe: tire breves instantes do seu dia para realizar exercícios de relaxamento, bastante úteis para aliviar ou melhorar vários problemas que pode sentir, tais como ansiedade, stress, dor, insónia, entre outros. Procure o momento do dia mais relaxante para si e tente ficar confortável num ambiente tranquilo onde ninguém o possa incomodar. Feche os olhos, preste atenção a todas as suas sensações corporais como o respirar lentamente, o calor, a temperatura do seu corpo e concentre-se nos batimentos cardíacos. Assim, irá sentir que tem o controlo de todo o seu corpo e da sua mente conseguindo atingir a harmonia.

Siga estas 5 dicas e tenha uma saúde plena!

Contacte-nos para marcar uma consulta informativa gratuita. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Partilhar

A sua saúde emocional está em risco? 8 sinais de alerta!

Conheça os 8 sinais de que a sua saúde emocional está em risco e verifique com quais é que se identifica:

  • Preocupa-se excessivamente com o futuro;
  • Pensa demasiado nos acontecimentos passados;
  • Age sempre com a preocupação de agradar as outras pessoas;
  • Tem dificuldades em gerir o seu dia-a-dia e o seu tempo;
  • Culpabiliza-se sem razão pelos acontecimentos;
  • Adia realizar atividades/hobbies que promovam o seu bem-estar;
  • Cria uma depreciação negativa sobre si mesmo;
  • Reprime as suas emoções e repete pensamentos negativos sobre si próprio.

Avaliar a saúde emocional é importante porque nos permite viver de uma forma mais leve e saudável. Com a intervenção adequada, é possível melhorar e recuperar a sua vida habitual, saudável e equilibrada. Saiba como podemos ajudar através do nosso site e contacte-nos para marcar uma consulta informativa gratuita.. As nossas consultas podem ser presenciais ou à distância (online).

Partilhar

Porque é que o negativo vem sempre em primeiro lugar? 6 conselhos para se manter uma pessoa positiva – parte 2

Aproveite estes 6 conselhos da PSIC para o ajudar a manter-se positivo:
1. Aprenda a relaxar – nesses dias difíceis, relaxar parece impensável. Saiba que o pode fazer simplesmente mudando o caminho para o seu trabalho de forma a apreciar uma nova paisagem ou até mesmo, fazendo algo que desligue o seu cérebro de todas essas preocupações e o deixe entretido, isto também é relaxar.
2. Aceite – Quando surge algum problema, às vezes é importante aceitar que já não pode fazer nada pelo que aconteceu. Agora só lhe resta seguir em frente e arranjar a melhor solução possível. Mude de estratégia, o importante é persistir.
3. Confie em si – Conheça-se com todas as suas dificuldades, forças, fraquezas e aptidões. É importante que se conheça, para nada será demais para si. Merecerá e será capaz de conquistar tudo o que deseja!
4. Insista na paciência – Lembre-se que tudo tem o seu tempo. Quando algo corre diferente do planeado ou quando os pensamentos negativos, incertezas e preocupações aparecem. Pare e acalme-se, mantenha o foco. A perseverança é solução.
5. Reforce os seus pensamentos e atitudes – Você é o seu melhor amigo, reconheça-se, valorize-se e aplauda todas suas atitudes e pensamentos positivos.
6. Seja grato – Agradeça pela sua vida, por aquilo que é e por todas as coisas boas que lhe acontecem, por mais pequenas e simples que sejam.

A Clínica PSIC pode ajudar e facilitar este alcance do equilíbrio emocional e bem-estar, obtendo uma vida mais feliz e positiva, através de intervenções específicas de hipnoterapia, terapias psicossensoriais e biofeedback.

Contacte-nos para uma consulta informativa gratuita.

O bem-estar mental é um direito que deve estar ao alcance financeiro de todos. Se é estudante, está desempregado ou numa situação económica fragilizada, saiba como usufruir de preços ajustados à sua realidade em psic.com.pt/prosocial

Jatir Schmitt- Psicóloga Clínica

 

Partilhar

4 motivos para (não) ir ao psicólogo

DOS_2000Cada um tem as suas próprias razões.

O psicólogo é só para falar. Eu nem sempre (ou quase nunca) estou para aí virada. Ainda por cima com uma pessoa que nunca vi. .

O psicólogo é só para tolos. Já me considero maluca o suficiente para ter um profissional na área a passar-me um atestado de insanidade. Ainda venho pior do que o que fui. .

O psicólogo cobra mundos e fundos. Para receber conselhos falo com um amigo. E é de graça..

O psicólogo nem me pode receitar um medicamento. Nem que fosse um comprimido levezinho para dormir que já era bom!.

Afinal o que pode um psicólogo fazer?

Nem sempre é necessário falar sobre os problemas que o afligem. Basta que pense neles para poderem ser trabalhados em intervenções psicoenergéticas.

O psicólogo não rotula, não julga. Ajuda a ultrapassar as dificuldades que a vida impõe. A aceitação de si próprio é o ponto de partida para a mudança, que pode ser uma oportunidade de reencontro, crescimento e realização.

Investir na saúde emocional é melhorar a qualidade de vida e garantir o seu bem-estar futuro.

Nem sempre é necessário o recurso a medicamentos. Poderá aprender a acionar o mecanismo de auto cura natural do organismo e adquirir ferramentas de autoaplicação para S.O.S.

O bem-estar mental é um direito que deve estar ao alcance financeiro de todos. Saiba como em psic.com.pt/prosocial

Jatir Schmitt – Psicóloga Clinica

Partilhar

Saúde Psicológica

Mensagem da OPP no Dia Mundial da Saúde Mental – publicado em 2014.

“Sem Saúde Psicológica não há Saúde.” Peça ajuda.

 

Partilhar