Tem algum manipulador na sua vida?

Nem sempre é fácil detetar as pessoas manipuladoras à nossa volta. Mas, se pensar bem, provavelmente conhece alguém que termina os seus pedidos de ajuda com “ninguém vai notar”, “é mais rápido desta forma”, “já te ajudei tanto”… Sabia que estes são detalhes de pessoas manipuladoras, que têm o poder de mudar a sua envolvência para benefício próprio?

A pessoa manipuladora pode estar nas suas relações familiares, amorosas, sociais, profissionais e de amizade. São hábeis em certas técnicas de comunicação e usam-nas para o confundir. O manipulador utiliza métodos como a pressão, ilusão ou engano para convencer. A linha que separa uma pessoa que lhe pede ajuda de uma que o manipula pode ser muito ténue.

Como é que os manipuladores conseguem não ser detetados?

São vários os tipos de manipuladores e detetá-los é mais uma questão prática do que teórica. Se já teve que lidar com eles em algum momento, será mais fácil identificá-los, uma vez que os objetivos das pessoas manipuladoras são claros e instrumentais, seguindo um padrão de comportamento.

 

Como reconhecer um manipulador?

Embora estejam ao seu redor, nem sempre é fácil detetar essas pessoas, uma vez que as suas características não são evidentes. Quando sente desconforto corporal, uma sensação de estranheza e de que algo não está bem, pode ser um indicador de que está a sofrer um ato manipulativo. Estes atos podem perturbar as suas emoções, enfraquecer a sua moral, a sua energia e aumentar as suas inseguranças em relação a si e aos outros.

6 características comuns para reconhecer um manipulador:

  • Bajulação: trata-se de uma das habilidades mais interessantes do manipulador. Descobre o que o faz sentir especial para ganhar a sua confiança. Fique atento aqueles que adulam com facilidade, mesmo sem conhecer as pessoas.
  • Favores: o manipulador geralmente ajuda em tudo que pode, como se fosse algo que não pode controlar. Tende a agradar e ajudar. No entanto, esperam pelo momento certo para lhe apresentar uma conta muito alta sob a forma de coação, pois essa é a sua estratégia.
  • Emoção: é outro recurso que o manipulador utiliza. Pode apelar às suas emoções mais intensas que o podem impedir de agir e pensar com clareza. Desse modo, o manipulador provoca medo e culpa com vista a pressionar o outro sempre que quer algo em troca.
  • Cobrança: normalmente é excessiva e pode estar disfarçada em atitudes simples como mostrar deceção quando o outro não cede aos pedidos do manipulador, que espera sempre que se comporte da maneira que ele prevê.
  • Vingança: o manipulador pode punir com o seu desprezo, e quando precisar dele, ele simplesmente finge que não existe. Também é possível que, quando confrontado, insulte-o e use termos depreciativos. A demonstração de desconfiança é a sua forma de controlo.
  • Vitimismo: o manipulador assume o papel de vítima de forma calculada e desvaloriza as experiências do outro com o objetivo de ressaltar o quanto o seu sofrimento é mais intenso. Por detrás das suas “boas intenções” de vítima, esconde uma chantagem emocional, usada para apelar à culpa do outro.

Como devemos lidar com um manipulador?

Conviver com um manipulador pode ser emocionalmente desgastante e causar sofrimento pelas contínuas cedências às vontades do mesmo. Por outro lado, tentar mudar o manipulador pode ser infrutífero e torna-se uma perda de tempo e energia.

Se sente estranheza ou desconforto, ou acha que pode estar sob a influência de um manipulador, procure ajuda de um profissional qualificado, pois este pode dar-lhe as ferramentas apropriadas para lidar com a situação da forma mais adequada para si. A Clínica PSIC – Psicologia Integrada pode ajudar. Saiba como através da nossa consulta informativa gratuita.

0 0 vote
Article Rating
Partilhar
Subscrever
Notificação de
guest

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments